Grupo Vieira da Cunha

Ensolarado

Tempo hoje

Min 11 / Max 28 +mais

Vereador no Sertão de Alagoas quer multa de R$ 2 mil Reais para quem bater em cavalo ou boi

Conteúdo enviado por Antonio Constantino Moreira Melo
Vereador Cosme Guedes autor do polêmico projeto
Vereador no Sertão de Alagoas quer multa de R$ 2 mil Reais para quem bater em cavalo ou boi


 A proposta de um Projeto de Lei, de autoria de um vereador da cidade de São José da Tapera, no alto Sertão de Alagoas, tem deixado agricultores e donos de animais (principalmente cavalos e bois) preocupados e indignados.

O Projeto Nº 2 /2019, de autoria do vereador Cosme Damião Santos Silva (PP), conhecido por Cosme Guedes, prevê multa de R$ 2 mil Reais (por cabeça) para quem for flagrado ‘puxando’ algum animal com uma corrente ou corda menor que dois metros ou bater (sem especificar que tipo de agressão) em cavalos, bois ou outro animal e que em caso de reincidência o valor será duplicado.

Também será punido quem andar com animais por mais de 10 quilômetros e se a fiscalização interpretar que o animal está desnutrido.

São José da Tapera, cidade que ficou conhecida, de forma negativa, em décadas passadas por apresentar o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país, é um município rural, sendo comum encontrar agricultores ou camponeses com seus animais pelas ruas ou Povoados.

E é justamente esse o motivo da discórdia com o projeto do vereador. Se o PL for aprovado na Câmara Municipal quem for dono de animal enfrentará grandes problemas.

Muitos Povoados são distantes mais de 10 quilômetros da cidade, que cultiva em sua história cavalgadas, feira de gado, procissões e outras atrações forçando a muitos fazerem grandes percursos com os animais, único meio de transporte para a maioria dos sertanejos.

Alheio a irá da maioria da população, o vereador mantém o discurso que é necessário acabar com o que ele chama de maus tratos aos animais.

Cosme Guedes é uma figura folclórica e enigmática. Já desistiu de uma candidatura a deputado antes mesmo de pedir o primeiro voto.

Dos cabelos cumpridos e arredio com a política, mudou de visual e opinião, enveredando pela política e se elegendo para vereador com 665 votos. Hoje, se confunde com um beato usando um crucifixo de madeira sobre o peito, não definindo o real significado.

Há cerca de três meses anunciou que ser vítima de um plano para assassina-lo, versão que mobilizou a estrutura da Segurança Pública do Estado que até o momento não conseguiu provar a denúncia.

O político também protagonizou uma ‘saia justa’ entre os colegas de Câmara ao renunciar à relatoria que visa o Impeachment do prefeito do município, alegando que não tinha apoio dos demais vereadores. A revolta dos demais edis foi que Cosme Guedes havia passado 48 com o processo de impeachment em mãos e, as vésperas de audiência, quando seriam ouvidas as testemunhas do caso, ele surpreendeu novamente com o ato de renúncia, beneficiando o próprio chefe do Executivo.



NOTA DE REPÚDIO



Vereador Cosme Guedes repudia matéria caluniosa a respeito de Projeto de Lei de sua autoria pela proteção e defesa dos animais.



Por: Cosme Guedes

Vereador – São José da Tapera/AL



Em mais uma clara e recorrente tentativa de macular a minha imagem e o meu mandato parlamentar em defesa da população taperense, me deparei na tarde desta quarta-feira (22) com uma matéria caluniosa vinculada no site Jornal do Povo, com a seguinte chamada: Vereador do Sertão de Alagoas quer multar em R$: 2 mil reais quem bater em cavalo ou boi.



Vale destacar, que já no título da referida matéria, fica evidenciado o real interesse do site, ou melhor, daqueles que pediram ou pagaram pela publicação, que seu conteúdo busca induzir o leitor a acreditar que de fato esse é o objetivo do referido projeto de minha autoria, o qual na verdade, apesar de tratar dos casos de maus tratos contra os animais, de forma alguma busca punir de forma irresponsável seus criadores, conforme induz a matéria acima destacada, haja vista que em seu Art. 2º a referida lei, estabelece o que entende-se de fato por maus tratos, inclusive dos dois pontos distorcidos apresentados na caluniosa matéria.



1º PONTO – ASSIM DIZ A MATÉRIA DO SITE JORNAL DO POVO: “Quem for flagrado ‘puxando’ algum animal com uma corrente ou corda menor que dois metros ou bater (sem especificar que tipo de agressão) em cavalos, bois ou outro animal e que em caso de reincidência o valor será duplicado”.



O QUE DE FATO DIZ O PROJETO DE LEI: Obrigar os animais a trabalhos excessivos ou superiores as suas forças, para deles obter esforços ou comportamento que não alcançariam senão sobre coerção.



Perceba que o texto legal fala por si, ao tratar de trabalhos excessivos ou superiores as forças dos animais, ou seja, em nada se assemelha ao exemplo usado de forma irresponsável na matéria com o claro intuito de prejudicar a tramitação do projeto e macular minha imagem de homem público e atuante que não se curva a politicagem praticada por quem representa interesses alheios aos anseios da sociedade taperense.



2º PONTO - ASSIM DIZ A MATÉRIA DO SITE JORNAL DO POVO: “Também será punido quem andar com animais por mais de 10 quilômetros e se a fiscalização interpretar que o animal está desnutrido”



O QUE DE FATO DIZ O PROJETO DE LEI: Fazer viajar um animal a pé, mais de 10 quilômetros, sem lhe dar descanso, ou trabalhar mais de 06 horas continuas sem lhe dar água e comida.



Mais uma vez o texto legal fala por si, pois quem em sã consciência defenderia não dar descanso aos animais por caminhadas longas de mais de 10 quilômetros e sem água e comida por mais de 06 horas? Contudo, a matéria de forma até leviana, distorce mais uma vez a clara intenção de proteção do projeto aos animais, para criminalização de seus donos por questões de mera desnutrição dos animais que na maioria dos casos está relacionado à seca predominante na região e não a supostos maus tratos.



Portanto, me reservo a não comentar os ataques pessoais agregados na matéria, pois esses apenas revelam a real intenção da publicação que em absolutamente nada tem a ver com a defesa dos criadores e muito menos dos agricultores e produtores taperenses.



Reforço, que os animais são nossos companheiros no planeta e merecem nossa defesa e proteção. Por esse motivo, disponibilizo na íntegra em anexo a esta nota, o conteúdo do referido Projeto de Lei de minha autoria em defesa dos animais para que cada cidadão taperense tire suas próprias conclusões. Adianto que se trata de um projeto justo que em nada atrapalha quem trabalha, muito pelo contrário, pune apenas os desumanos e defende os animais e seus legítimos cuidadores. 

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

Vc Repórter

Mais notícias em VC Repórter

ir para a capa de vc repórter

Galeria de imagens VC Repórter

  • Vovô

    colabore com essa galeria.

    por Ozeias Santos

Conteúdos VC Repórter