Grupo Vieira da Cunha
Trovoadas esparsas

Tempo hoje

Min 20 / Max 30 +mais
Notícias > Polícia > Contrabando e sonegação 10/10/2018 - 15h09 por ROBSON NEVES

Operação contra cigarro ilegal teve três alvos em Cachoeira

Polícia Federal estima que esquema movimentava R$ 2,5 milhões mensais

Três mandados de busca e apreensão foram cumpridos ontem em Cachoeira do Sul por agentes da Polícia Federal durante a Operação Pancada, uma ofensiva deflagrada em 12 cidades gaúchas e uma catarinense visando desbaratar duas quadrilhas investigadas pelo comércio ilegal de cigarros.

As buscas foram feitas por três equipes da PF de Santa Cruz do Sul, que vieram em três viaturas a Cachoeira. Os mandados foram cumpridos em duas empresas e em uma casa, mas os nomes dos investigados não foram revelados pela PF. Não ocorreram prisões em Cachoeira e o que foi apreendido na cidade não foi informado pela PF.

De acordo com o delegado Gabriel Figueiredo Cavalheiro Leite, a investigação trabalha com dois focos: o combate ao contrabando do Paraguai e o comércio de cigarro produzido no Brasil vendido com a sonegação de tributos.

Publicidade




A investigação sobre o esquema iniciou há sete meses, quando a PF estourou um depósito em Rio Grande e apreendeu 380 mil maços de cigarros estrangeiros, carga avaliada em R$ 2 milhões. Quatro pessoas foram presas em flagrante na operação.

Conforme o delegado Figueiredo, após esta apreensão a investigação foi aprofundada e os agentes descobriram que a quadrilha abastecia as cidades da zona sul do estado com cigarro contrabandeado ou produzido clandestinamente no país com marcas idênticas às paraguaias.

Ele observa que o cigarro brasileiro, por ser vendido sem o pagamento de tributos, era mais barato do que o contrabandeado. Figueiredo estima que o esquema movimentava cerca de R$ 2,5 milhões mensais.
 

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

JP no Facebook