Grupo Vieira da Cunha
Trovoadas esparsas

Tempo hoje

Min 10 / Max 21 +mais
Notícias > Cidade > Exército 08/08/2018 - 17h24 por CLEBER PINTO

3º BE lança projeto voltado ao esporte

Profesp beneficiará 35 jovens com aulas duas vezes por semana na unidade

Assinatura de contrato: Rogério Brandt, da Ulbra, Cleber Cardoso e tenente-coronel Bazi Assinatura de contrato: Rogério Brandt, da Ulbra, Cleber Cardoso e tenente-coronel Bazi

O 3º Batalhão de Engenharia de Combate lançou nesta quarta-feira o Programa Forças no Esporte (Profesp), iniciativa do Ministério da Defesa que tem por objetivo incentivar a inclusão social de jovens cachoeirenses por meio de atividades esportivas.

Durante o ano letivo, o Profesp atenderá 35 jovens de 12 a 15 anos, alguns abrigados no lar transitório e indicados pela Secretaria Municipal de Ação Social (Stas) e outros selecionados pela Secretaria Municipal de Educação.

O 3º BE Cmb terá a parceria da Prefeitura de Cachoeira do Sul e da Ulbra, que na cerimônia de ontem foram representados respectivamente pelo prefeito interino Cleber Cardoso e pelo diretor Rogério Brandt.

Publicidade




O comandante do 3º Batalhão, tenente-coronel Renato Farias Bazi, destacou que o Profesp terá atividades nas terças e quintas-feiras à tarde na unidade. Nove militares estarão diretamente envolvidos nas oficinas com os jovens.

Além de praticarem esportes, eles receberão orientações sobre moral e cívica e saúde e frequentarão oficinas de música. "Com o projeto, queremos abrir uma janela de oportunidades para os jovens, que tenham a esperança de um futuro melhor", destacou o comandante Bazi. 

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (1)

  • Renate Elisabeth Schmidt
    Renate Elisabeth Schmidt (Cachoeira do Sul) em 22/08/18 01:55
    Dois soldados (um deles cabo) abatidos no Rio de Janeiro cuja segurança, cuja segurança conta com as FFAA

    Além da apavorante estatística da morte de policiais militares e civis no Rio de Janeiro (bem como acontecendo nos demais estados), o que anda pensando o general bonitão que asssumiu a segurança daquele ESTADO INFELIZ após a morte de dois soldados do Exército Brasileiro?
    Nunca soube que a função das FFAA fosse combater bandidagem e até onde permite minha suprema ignorância também nunca registrei que o treinamento recebido pelas tropas tivesse este intuito. Que eu saiba o treinamento é específico para a guerra.
    Obviamente, em tempos de paz usa-se a força para outros propósitos como salvamento na selva, defesa das fronteiras, campanhas específicas e mesmo como aconteceu recentemente, o Brasil somou-se ao esforço para localizar o submarino argentino desaparecido.
    O que será que andam pensando os militares das Três Forças sobre a morte dos dois rapazes?
    Lei do Silêncio sob ameaça de Corte Marcial?

JP no Facebook