Grupo Vieira da Cunha
Trovoadas esparsas

Tempo hoje

Min 10 / Max 21 +mais
Notícias > Política > SEGURANÇA ALIMENTAR 16/05/2018 - 18h45 por CRISTIANO LIMA

Marlon Santos quer proteger venda de fiambres fracionados e artesanais

Presidente da AL pede força-tarefa para formular legislação pensada para produtos artesanais específicos de cada região

Marlon (c): legislação para respaldar os pequenos Marlon (c): legislação para respaldar os pequenos

O presidente da Assembleia Legislativa (AL), deputado Marlon Santos (PDT), esteve, na manhã desta quarta-feira (16), reunido com os representantes do Ministério Público e da Vigilância Sanitária do Estado para discutir a lei que dispõe sobre comercialização de fiambres fracionados e artesanais.

Foi solicitado por Marlon uma força tarefa que permita uma legislação pensada para os produtos artesanais específicos de cada região, tendo o cuidado em preservar o pequeno agricultor e o dono de pequenos estabelecimentos.

Para Marlon, o problema todo é o pequeno produtor. “Precisamos de uma solução que respalde esses agricultores e seus estabelecimentos. É o que está acontecendo com o nosso colono”. Ainda questionou, “vocês tem noção do que é ser colono, quando o único ganho da família é a venda de dez caixas de ovos, três queijos coloniais e dois potes de mel?”.

Publicidade




FORÇA-TAREFA

A AL vem desde o ano passado tratando deste tema, buscando uma solução legal que permita aos açougues, fiambrerias e mercados a comercialização de produtos artesanais de origem vegetal ou animal como linguiças campeiras e queijos coloniais.

Marlon deixou definida a criação de um grupo de trabalho para cuidar do assunto, já com o primeiro encontro agendando para a próxima quarta-feira (23). Também participaram do encontro os deputados Tarcísio Zimmermann (PT), Adão Villaverde (PT), Catarina Paladini (PSB) e deputada Mirian Marroni (PT) e o desembargador Carlos Roberto Caníbal.

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

JP no Facebook