Grupo Vieira da Cunha

Ensolarado

Tempo hoje

Min 4 / Max 16 +mais
Edição Impressa
Notícias > Cidade > Falecimento 14/05/2018 - 18h17 por Eduarda Esteves

Cachoeira perde o Índio Sepé

O estado de saúde de Albino se agravou após a amputação de um de seus membros inferiores.

Albino: faleceu aos 85 anos por infecção respiratória e cardiopatia isquêmica/Divulgação JP. Albino: faleceu aos 85 anos por infecção respiratória e cardiopatia isquêmica/Divulgação JP.

O cantor e compositor tradicionalista cachoeirense Albino Agne, conhecido pelo nome artístico de Índio Sepé, 85 anos, morador do Asilo Nossa Senhora Medianeira, faleceu na manhã desta segunda-feira, por volta das 8h30min, no Hospital de Caridade e Beneficência (HCB), por infecção respiratória e cardiopatia isquêmica.

Albino tinha diabetes e no ano passado, após o lançamento do seu CD “Chimarreando com Deus”, o compositor precisou amputar um de seus membros inferiores por complicações de saúde causadas pela doença.

Desde então, Sepé se deprimiu e seu estado de saúde foi se agravando.

Publicidade




Atualmente ele sofria de problemas renais, estava com dificuldade para urinar e não estava se alimentando, por conta disto, Albino foi internado no início da última semana para acompanhamento médico no HCB, mas infelizmente veio a falecer.

O corpo foi sepultado nesta segunda, no Cemitério das Irmandades.
Ele deixou primos, amigos e familiares.  

 >> Carreira artística

Sepé começou a vida artística nos anos 50, na Rádio Farroupilha, de Porto Alegre, sendo batizado pelo apresentador do programa Grande Rodeio Coringa, Darci Fagundes, pelo nome artístico de Índio Sepé.

Foi quando participou de seu primeiro disco, “Grande rodeio”. 

Nos anos 70, Sepé cresceu e chegou à televisão, onde foi produtor e apresentador do programa Fogo de Chão, da Rede Bandeirantes, junto com cantor Luiz Menezes. 

Índio Sepé lançou 16 discos, pelas gravadoras Copacabana, Continental, Tapecar e Musicolor.

Dentre os discos de maior sucesso está “Filho da fronteira”, seu primeiro disco individual, com as músicas “Vem chegando o Gomercindo” e “A origem do meu nome”, onde explica como ganhou o apelido.

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

JP no Facebook