Grupo Vieira da Cunha

Parcialmente nublado

Tempo hoje

Min 16 / Max 28 +mais
Edição Impressa
Notícias > Geral > Denúncia 11/01/2018 - 16h55 por Vinícius Severo

Servidor pede rescisão do contrato da empresa que fará concurso da Câmara

Jovem questionará o Ministério Público por Câmara ter dispensado licitação para contratar empresa

Henrique: questionará legalidade de dispensa de licitação Henrique: questionará legalidade de dispensa de licitação

O servidor público municipal Henrique Corrêa Fernandes, 29 anos, levará ao Ministério Público de Cachoeira do Sul um pedido para que seja rescindido o contrato da Câmara de Vereadores com a empresa Premier.

A empresa é a responsável pelo concurso que abre três vagas no Legislativo cachoeirense, com prova marcada para o próximo dia 18 de fevereiro e que, dependendo dos desdobramentos no MP, pode acabar sub judice.

DISPENSA DE LICITAÇÃO

Publicidade




Henrique questionará ao MP se o ex-presidente do Legislativo, Paulão Trevisan, poderia ter contratado a empresa sem licitação. A Câmara escolheu o prestador do serviço por tomada de preços através de carta-convite. Três empresas participaram e a Premier superou ofereceu R$ 5.724,79 para fazer o concurso. 

O denunciante não fará o concurso da Câmara, porque já havia se inscrito para outro certame, da Prefeitura de Tupanciretã, que terá prova no mesmo dia, 18 de fevereiro. 

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (1)

  • Tobias Silva
    Tobias Silva (Cachoeira do Sul) em 11/01/18 19:09
    Dúvida

    A carta-convite não seria uma modalidade de licitação?

JP no Facebook