Grupo Vieira da Cunha
Parcialmente nublado

Tempo hoje

Min 17 / Max 26 +mais
Edição Impressa
Notícias > Geral > CONTRA O PARCELAMENTO SALARIAL 12/09/2017 - 18h02 por Patrícia Loss

Magistério estadual decide seguir em greve

Secretários da Educação e da Fazenda receberão o comando de greve quinta-feira, depois de novo ato da categoria em frente ao Piratini

Manifestantes de Cachoeira no ato público desta terça-feira Manifestantes de Cachoeira no ato público desta terça-feira 

Ocorrido em frente ao Palácio Piratini, o ato público pacífico do magistério estadual que segundo os organizadores reuniu em torno de 11 mil participantes na tarde de desta terça-feira teve efeito, mas os manifestantes decidiram seguir em greve.

Assessores do governador José Ivo Sartori receberam o comando do sindicato da categoria que completou ontem uma semana de protesto contra o parcelamento de salário para os servidores públicos do Estado.

A assessoria do governador marcou para quinta-feira, às 18h, uma reunião dos representantes do sindicato da categoria, o Cpers, com os secretários estaduais da Fazenda e da Educação, Giovani Feltes e Ronald Krummenauer. Ao menos a reunião os servidores decidiram seguir em greve.

O encontro solicitado pelo comando de greve é para tratar do pagamento do restante do salário de agosto e dos próximos meses, além do 13º salário. O temor é com relação ao parcelamento do 13º, o que já foi feito com o de 2016 e em 12 parcelas, uma por mês ao longo de 2017.

Quinta-feira será dia de ato público em frente ao Piratini. Novamente excursões de todos os núcleos regionais do Cpers deverão rumar para o evento que iniciará por volta das 10h.

De Cachoeira do Sul deverão sair dois ônibus, mas o transporte só será acertado em reunião do núcleo regional do sindicato marcada para quarta-feira de manhã.

QUINTA PARCELA
Também nesta terça-feira o Estado pagou mais uma parcela, a quinta, das remunerações de agosto da categoria. Agora cada servidor já recebeu até R$ 2 mil e 54% está com o pagamento em dia. Com relação ao magistério, das cerca de 344 mil matrículas, 75% já recebeu o salário integral do mês passado.
 

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (3)

  • Lecino  Ferreira
    Lecino Ferreira (Chácara) em 13/09/17 12:48
    Mas, hein?

    Vocês viram nessa foto os professores pelegos, que enchem nosso saco, aqui no forum nessa "greve"?

  • Rosalvo Lourenço
    Rosalvo Lourenço (Brasília) em 13/09/17 12:48
    PARCELAMENTO!

    O PT foi contra o parcelamento do salário PARA TODOS OS PODERES. Ou seja, o PT quer que salários do Judiciário e do Legislativo sejam pagos em dia. O resto, que o PT considera resto mesmo, incluindo os professores, que SOFRAM AS CONSEQUÊNCIAS ECONÔMICAS DO ROUBO PETISTA.

    Quem se vende à esquerda tem mais que aprender mesmo. Tenho pena daqueles professores honestos e que não votam nesta corja.

  • Adriano Bitencourt Chaves
    Adriano Bitencourt Chaves (Cachoeira do Sul) em 13/09/17 11:50
    CPERS

    Muito capaz que os professores teriam compromisso com a educação e não iriam aproveitar para fazer política suja e enforcar trabalho...

JP no Facebook