Grupo Vieira da Cunha

Encoberto

Tempo hoje

Min 17 / Max 29 +mais
27/12/2018 - 14h33

Bird Box

Netflix nos presenteia com apocalipse tenso para o fim do ano

Filmes sobre o fim do mundo não são novidade. Já fiz inclusive uma lista de séries de TV que desenvolvem o tema. O que tem surpreendido é a quantidade de obras sobre apocalipses onde os seres humanos tem seus sentidos afetados, os levando a morte ou ao suicídio. Agora, a Netflix nos traz um novo longa, que mistura "Ensaios sobre a Cegueira" (2008) baseado na obra de José Saramago, com "Fim dos Tempos"(2008), de M. Night Shyamalan e "Madrugada dos Mortos" (2004) de George Romero. O nome do novo lançamento é "Bird Box", ou Caixa dos Pássaros, em tradução livre. Além de ser ótimo, o filme conta com a presença de Sandra Bullock (Oito Mulheres e um Segredo, 2018), como Malorie, e John Malkovich (Red - Aposentados e Perigosos, 2010), como Douglas.

 

 

Publicidade




 

Lutando pela vida

Na trama, Malorie encontra-se grávida, embora não pareça muito feliz com esta situação. Após um dos tantos exames médicos, a futura mãe recebe a visita da irmã, Shannon  (Sarah Paulson, Oito Mulheres e um Segredo, 2018), que fica impressionada com sua apatia.  Shannon convence a irmã a sair de casa, mas, quando estão no trânsito, uma turba de pessoas vem em sua direção. A multidão não ataca como uma horda zumbi. Muitos praticam suicídio, das formas mais absurdas, próximo ao que acontece em "Fim dos Tempos". Na confusão, Malorie e Shannon acabam se acidentando. O carro vira e a irmã grávida é socorrida pela moradora de uma casa próxima de onde aconteceu a capotagem. Ao salvar Malorie, a mulher é consumida pela loucura coletiva e acaba se suicidando.

 

Salva, ou nem tanto

Chegando no refúgio, Malorie descobre que o local pertence ao ranzinza Douglas (Malkovich), esposo da suicida. Isto faz com que ele a culpe pela morte da mulher. Na casa, os sobreviventes percebem que as pessoas começam a se suicidar após olharem para algo invisível, que muda seus comportamentos. Ao mesmo tempo que abrem o local para outros sobreviventes, Malorie e Douglas decidem tapar todas as janelas abertas, não permitindo que imagens de fora adentrem o recinto.

 

Madrugada adentro

A partir disto, o filme torna-se semelhante a "Madrugada dos Mortos"(2004), mostrando a relação de várias pessoas, com diferentes personalidades, vivendo dentro de uma casa. Isto por meses, enquanto o fim do mundo acontece da porta para fora. Eles tem que aprender a suportar suas diferenças. Ao mesmo tempo precisam descobrir formas de encontrar alimento e impedir que qualquer imagem do mundo exterior adentre o recinto, provocando seus suicídios.

 

Voo cego

Junto a esta trama, somos apresentados a flashforwards de Malorie, cinco anos no futuro. Agora, a jovem mãe deve levar seus filhos para um abrigo seguro, onde os monstros, que causam os suicídios, não podem chegar. Para isto ela precisa conduzi-los vendados até um rio perto de seu abrigo. Depois terá de encarar uma viagem de dois dias, em um pequeno barco, corrente abaixo. No trajeto, Malorie não pode deixar que os pequenos vejam a luz. Ao mesmo tempo enfrenta fortes corredeiras caudalosas, malfeitores e a impossibilidade de enxergar o que esta a sua frente. Cada situação vivenciada no futuro é acompanhada de um fato no passado. Este tem relação em como ela, e as crianças, chegaram até ali.

 

Abrindo a caixa

Bird Box é baseado no livro de estreia de Josh Malerman, publicado em 2014. A referência da gaiola ocorre não apenas porque pássaros presos são a única forma de detectar a chegada dos monstros. Também porque os humanos da fita, que não podem sair de casa ou mesmo ver. Eles acabam vivendo como pássaros engaiolados. Na verdade a luta contra as criaturas é quase desnecessária para a obra. O que segura o filme é a convivência entre os engaiolados, de uma forma bem mais madura que o já citado "Madrugada dos Mortos", mas sem a profundidade de "Ensaios sobre a Cegueira".

 

Briga no escuro

A fita possui boas cenas de ação, tanto dentro da casa, quanto no rio. Quando acontecem são extremamente convincentes, principalmente a provação dos aliados esporádicos. Muitas vezes eles precisam se sacrificar para que sua pequena comunidade continue sobrevivendo, até mesmo pessoas com quem não compactuam. Vale destaque para as cenas onde a protagonista se perde fora da casa, sem conseguir voltar devido a venda nos olhos. Ficamos com sentimento que o monstro esta logo a sua frente e irá arrebatá-la na próxima cena. Certamente, por podermos ver, suamos mais que a personagem.

 

Bird Box é um ótimo filme. Peca por ter sido lançado somente na Netflix, e não no circuito de cinema. Está é uma realidade que teremos que nos acostumar, principalmente agora que o serviço de streaming está ampliando seus mercados e incentivando a produção de uma quantidade absurda de filmes e séries, nem todos de boa qualidade. Mais do que nunca vamos precisar estar atentos para que a expansão dos catálogos não traga o fim do mundo para a cultura de cinema tradicional. Precisamos aplaudir os bons lançamentos das plataformas da internet, mas também é bom estar de olhos abertos para que as produções mantenham a qualidade de "Caixa de Pássaros". É isto ou encarar de frente o apocalipse de toda a indústria audiovisual. Se for assim poderemos acabar suicidando nosso gosto por filmes, devido a histórias de fácil acesso, mas de qualidade duvidosa.

Trailers

https://youtu.be/yN7htb4ngfg

https://youtu.be/2qPnf5zHeJg

https://youtu.be/eDE4w8DyvFk

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

Postagens mais recentes de Blog do Cinema

mais postagens de Blog do Cinema

JP no Facebook