Grupo Vieira da Cunha

Parcialmente nublado

Tempo hoje

Min 15 / Max 19 +mais
03/04/2019 - 08h59

Ana Martins Marques

Poetisa mineira, nascida em novembro de 1977. Formada em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais, é mestre em Literatura Brasileira e Doutorando em Literatura Comparada pela mesma universidade. É autora dos livros A vida submarina (Editora Scriptum, 2009), Da arte das armadilhas (Companhia das Letras, 2011) e O livro das semelhanças (Companhia das Letras, 2015). Sua escrita pessoal, sensitiva e concisa supera a noção da metalinguagem (promove o estreitamente entre linguagem e experiência de modo peculiar) e traz ao leitor um desbravar artístico único que perpassa por várias temáticas. Original/invulgar. Poesia potente e de um sutileza tão perturbadora quanto brilhante.

Por: Tiago Vargas

 

Publicidade




Leque
Contra o fundo da noite
desenha-se
a sua nudez
como um lápis

pele de
penumbra
poças de
rosas quentes

luz diagonal
nos lençóis
de há pouco

e por fim
você se abre
como um leque.
Ana Marque Martins



 

O sol chegou cedo
E com ele a esperança
De um dia colorido
Sonhos para serem vividos
Sorrisos para serem dados
Palavras doces para serem ouvidas
Beijos para serem trocados
E essa mão tão pequenina
Que agarra a minha
E me leva a caminhar
Por esse mundo cor de rosa
Que eu não conhecia.

Rosana Ortiz

 

CALIGRAFIA

Uma letra legível
Escrita por anjos
Floresce no paraíso
Formando um arranjo
Que perfuma a mente.

Mas os garranchos
Que se agarram
Nas linhas do caderno
São fantasmas do Inferno
Que ninguém entende.

CLEITON LEAL

 

ESTAS MEMÓRIAS

Uma suave brisa tocava seu rosto ao olhar pra o horizonte
E uma sublime canção pulsava em seu coração.

E o solitário pensativo alcançou a eternidade.

E tudo em seus pensamentos era solidão...

Em sua volta pássaros coloriam o céu encoberto.

E na rua sem final a neva ensaiava uma dança imaginária
Cobrindo a montanha que se curvava ao seu redor.

Com muito frio deu uns passos e fechou o portão
Hoje queria ficar só.

Jorge Ritter

 

De janeiro a janeiro
E assim seguimos...
Transformando dias
Plantados no coração
Um do outro...
A vida nos ensinou
A termos raízes sobre o que sentimos...
Amar não será passageiro.

Melissa Streck


Livro de recordações
Na esquina do tempo
livros e memórias
nas histórias família
visitando o passado

na busca o resgate
das origens da vida
na saborosa outrora
do lugar onde nasci

nas letras o estudo
da língua, literatura
na vocação a poesia
que registra nostalgias

escrevendo passados
também antepassados
como robinda existência
nas mãos meu livro de recordações.

Jorge Corrêa

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

Postagens mais recentes de Blog da Poesia

mais postagens de Blog da Poesia

JP no Facebook