Grupo Vieira da Cunha
Trovoadas esparsas

Tempo hoje

Min 24 / Max 34 +mais
02/01/2019 - 09h39

2019 Literário

Em primeiro lugar gostaria de agradecer por 2018. Obrigado a todos os poetas que contribuíram com seus textos para tornar este espaço mais reflexivo e contemplativo. Obrigado a você leitor, nossa razão de ser e de existir, muito obrigado por todas as considerações, pela deferência, críticas e sugestões. Pela onipresença. Que este novo ano seja de muita paz, saúde e amor. Luz e otimismo. Que a esperança se renove em todas suas cores. Que tenhamos ética, sabedoria, alegria, coragem, inteligência, consciência. Liberdade, coragem, presença de espírito. Que as relações humanas se fortaleçam e se multipliquem. Que sejamos protagonistas de nossas vidas. Que tenhamos fé. Que Deus nos abençoe. Que os bons verbos sejam conjugados. Feliz 2019.

Por: Tiago Vargas




RENOVANDO

Publicidade




Ao final de cada ano
Uma onda de felicidade
Invade os corações...
Compras, correria.
Mil coisas para fazer...
Arrumar a casa, e também
O nosso interior.
Jogar fora as mágoas
E acolher o amor...
Tirar do peito o rancor.
Deixar entrar nele
A presença do Senhor...
Ensinando a perdoar
Nosso irmão...
Jesus pede atenção.
Não endureça o teu coração...
E que no ano que vem
Tudo seja realmente
Novo e leve
Cheio de amor e paz...

Nedi R. Garske.

 

Ano Novo

De que adianta o ano ser novo
se o coração continua velho?
Para que serve o brinde
da meia noite
se na manhã seguinte cometemos
os mesmos erros?
De que adianta vestir-se de branco
se no coração não há paz?
De que adianta soltar fogos de artifício
se a alegria não vem da alma?
Tomara não sejam vãs as promessas
de renovação.
Que a virada não seja só no relógio.
É hora de abandonar a inércia.
Chegou o momento de pagar
a dívida consigo mesmo.
Que a vergonha não seja empecilho
para o tímido dizer eu te amo
enquanto há tempo.
Que o medo não cale a voz dos injustiçados.
Que as frustrações da vida não nos impeçam
de ver que ainda existe esperança.

Gabriela Vidal Domingues


Noite de Ano Novo:
Após a queima de fogos,
Estrelas silenciosas

Edson Iura

 

O Brinde

Morre o Ano
E começam os rituais
Ondas a pular
Lentilhas na carteira
Uvas e leitões...
Mesa farta
Corações alegres
Desejos, festejos, presentes
Famílias e comemorações...
Morre o Ano
E brindamos
A vida e apostamos
Esperança, sonhos e realizações...
Mas nada vai mudar
Se cada um não morrer
Em suas velhas e tristes versões
Que esquecem o sentido
Da vida como irmãos
Renovando as promessas
Vamos brindando
Tim tim!!
É Ano Novo
Pra ti e pra mim!

Mara Garin


SOB A LOUSA FRIA

QUANDO NATAIS SE APROXIMAM,
POR VIA DE CONSEQUENCIA,
AS ESPERANÇAS SE REANIMAM,
REPICAM OS SINOS MAIS FORTE,
CHAMANDO TODOS À ORAÇÃO.
EM LOUVOR AO CRIADOR,
DEUS DE CADA CORAÇÃO,
CUJA ONIPOTENCIA,
NORTEIA OS NOSSOS PASSOS,
NOS SUCESSOS E NOS FRACASSOS.
PROTEÇÃO QUE NOS PERMITE,
OLHAR O MUNDO DE FRENTE
COMO FAZ O GIRASSOL,
QUE VIVE MIRANDO O SOL.
TODO O RESTO É PICUINHA,
TEMA PARA LADAINHA,
POIS A PRÓPRIA HIPOCRISIA,
ACABA SOB A LOUSA FRIA.

João Francisco Severo

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

Postagens mais recentes de Blog da Poesia

mais postagens de Blog da Poesia

JP no Facebook