Grupo Vieira da Cunha
Chuvoso

Tempo hoje

Min 14 / Max 17 +mais
Edição Impressa
Notícias > Economia > Esforço empresarial 18/05/2017 - 18h38 por Vinícius Severo

Sindilojas faz forte ofensiva contra comércio informal

Estimativa da Fecomércio é que pirataria movimentou R$ 300 milhões em Cachoeira ano passado

O Sindilojas decidiu abrir uma forte ofensiva em Cachoeira do Sul contra o comércio ilegal de produtos e combater a informalidade.

Os empresários sustentam que a comercialização de produtos de procedência duvidosa trazem prejuízos diretos não só aos compradores, mas também à economia municipal.

Por isso, o presidente do Sindilojas, Jaucílio Lopes Domingues, tem feito convites diretamente a lideranças empresariais e comunitárias de Cachoeira do Sul para a reunião técnica que acontece no próximo dia 29 de maio, na sede da entidade.

O encontro terá a presença do vice-presidente financeiro da Fecomércio, André Roncatto, que coordena, pela entidade, a Comissão de Combate à Informalidade e integra ainda o Conselho Nacional de Combate à Pirataria.

A Fecomércio estima um prejuízo substancial à economia cachoeirense com base em seus estudos sobre a informalidade. “Em Cachoeira do Sul, considerando seu PIB na economia gaúcha em 2014, e supondo que esta permaneceu constante, estimamos que a pirataria movimentaria R$ 300,91 milhões em 2016 neste município”, destaca a assessoria da entidade.

DADOS E ESFORÇOS

Além de dados sobre os prejuízos econômicos, a Fecomércio vai mostrar ao empresariado cachoeirense os esforços que vem fazendo para alertar as entidades públicas e seus órgãos de fiscalização sobre os prejuízos que a informalidade gera ao país.

O encontro visa promover um debate e organizar comitês de trabalho que possam discutir a legislação municipal que versa sobre estes assuntos.
 

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (1)

  • Vilnei Garcia Herbstrith
    Vilnei Garcia Herbstrith (Porto Alegre) em 19/05/17 13:43
    TAMBÉM TEM EMPRESAS LEGAIS AGINDO ILEGALMENTE

    Ação correta, mas alô Sindilojas e Prefeitura: andei por Cachoeira várias vezes nos últimos dias e o comércio formal está enchendo as calçadas de móveis e eletrodomésticos na ânsia de vender mais. É uma ação que contraria a lei. Diz o Código de Posturas da cidade, atualizado em 22 de janeiro de 2004, DAS VIAS E LOGRADOUROS PÚBLICOS, TRANSPORTES E TRÂNSITO/ CAPÍTULO I
    DO TRÂNSITO PÚBLICO/ SEÇÃO I - DA OBSTRUÇÃO DO TRÂNSITO/ ... Art. 20. É proibido embaraçar ou impedir, por qualquer meio, o livre trânsito de pedestres ou veículos nas ruas, praças, PASSEIOS e CAMINHOS públicos, exceto para execução de obras públicas ou quando exigências policiais o determinarem..... Ou seja, todo mundo que coloca qualquer coisa obstruindo calçadas, INCLUSIVE MATERIAL DE LOJAS QUE QUEREM VENDER SEUS PRODUTOS, ESTÁ INDO CONTRA A LEI e sendo ilegais. Que tal dar o exemplo ao mesmo tempo que fiscalizam os ilegais, fiscalizarem os que estão estabelecidos legalmente mas que agem de forma ilegaL?

JP no Facebook