Grupo Vieira da Cunha
Chuvoso

Tempo hoje

Min 14 / Max 17 +mais
Edição Impressa
Notícias > Geral > ELEIÇÃO ADIADA 18/05/2017 - 18h00 por CRISTIANO LIMA

Aeroclube adia eleição e constitui comissão provisória

Chapas interessadas na disputa exigiram criação de conselho fiscal para aprovar prestação de contas da gestão anterior

Schroeder: membro da comissão que assumiu entidade por 30 dias Schroeder: membro da comissão que assumiu entidade por 30 dias

Uma disputa inédita envolvendo três chapas na eleição da nova diretoria do Aeroclube Municipal de Cachoeira do Sul acabou fazendo com que o processo fosse adiado por 30 dias.

Foi constituída uma comissão composta por três associados, nesta quarta-feira, assumiu provisoriamente o comando da entidade para resolver um impasse: a criação de um conselho fiscal, composto por três membros e dois suplentes, como exige o estatuto.

A junta provisória entrou em substituição ao jornalista e piloto Airton Lima, que presidiu o Aeroclube de Cachoeira do Sul por quatro anos. A explicação é de um dos membros da comissão, Eduardo Schroeder, que assumiu o controle do Aeroclube ao lado de Mário Kämpf e Ricardo Neves.

“Nosso estatuto prevê que em caso de qualquer irregularidade, ou inconsistência, uma comissão de três membros assume a diretoria provisoriamente por 30 dias para regularizar a situação. Vamos criar o conselho fiscal para que possa ser emitido um parecer sobre as contas da gestão que passou. Depois divulgaremos outro edital dentro de 30 dias para seguir com a eleição”, salienta.

Segundo ele, 25 associados participaram da Assembleia Geral da entidade, nesta quarta-feira.

PRESTAÇÃO DE CONTAS

Schroeder acrescenta que, historicamente, as eleições do Aeroclube eram sempre com chapa única, por aclamação. No entanto, desta vez, três membros da antiga diretoria resolveram apresentar chapas, sendo que nas discussões foi levantada a questão de que a entidade vem há mais de quinze anos sem conselho fiscal.

“Até agora ninguém tinha reclamado, mas como agora foi exigida a criação do conselho fiscal, vamos seguir a risca o estatuto e criá-lo para que fique tudo dentro dos conformes”, esclareceu.

De acordo com o membro da comissão provisória, no passado havia dificuldades até mesmo para preencher os sete cargos da diretoria devido ao baixo número de associados. Contudo, recentemente, como o interesse pela entidade cresceu nos últimos anos, Schroeder acredita que não haverá problemas para encontrar os cinco membros necessários ao conselho fiscal.

“Nosso objetivo é não deixar morrer o interesse pelo Aeroclube morrer, e, pelo contrário, fomentar o interesse de novos associados. O ex-presidente Airton Lima fez um trabalho sério, com importantes melhorias”, avalia.

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

JP no Facebook