Grupo Vieira da Cunha
Chuvoso

Tempo hoje

Min 15 / Max 19 +mais
Edição Impressa
Notícias > Cidade > REFORÇO NA CAMPANHA 11/01/2017 - 14h58 por Patrícia Loss

Ainda dá tempo de ajudar o fundo da criança e do adolescente

Cheio de ideias, juiz de direito Daniel Berthold soma-se ao Comdica na corrida por recursos do Imposto de Renda

Ana, Berthold e Santo: cruzada para que parte do dinheiro do IR fique em Cachoeira Ana, Berthold e Santo: cruzada para que parte do dinheiro do IR fique em Cachoeira

Mesmo com a virada de ano ainda dá para deixar em Cachoeira do Sul uma parte do dinheiro do Imposto de Renda (IR), que é pago ao governo federal.

Quem direcionou uma parcela do tributo para o Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (Fumdica) até 31 de dezembro de 2016 legalmente poderia canalizar até 6% do valor devido para ações em Cachoeira, índice que de 1º de janeiro até o data máxima para declara de renda – 30 de abril – é de 3%.

Toda a colaboração com o fundo é abatida do valor do imposto devido, desde que não ultrapasse o índice legal.

O juiz de direito Daniel André Köhler Berthold , do Juizado Especial Cível de Cachoeira do Sul, entrou na campanha organizada pelo conselho gestor do Fumdica, o Comdica, e está dedicando seu período de férias para ir atrás de contribuições para o fundo.

Ele atua na cidade há cerca de 10 meses e sua intenção é implementar no município uma campanha mais intensa e com mobilização especialmente dos servidores públicos.

Para dar início à ação, acompanhado do presidente e da secretária do Comdica – Santo Tavares e Ana Plautz – ele visitará responsáveis por órgãos públicos. O presidente da Câmara, Paulão Trevisan, e o prefeito Sergio Ghignatti, estão entre os primeiros da lista.

Berthold quer implementar em Cachoeira o mesmo modelo de arrecadação de dinheiro de Imposto de Renda que coordenou em Rio Pardo, onde foi o primeiro contribuinte do Fumdica, em 2002.

Na cidade vizinha, até uma lei municipal que determina uma sessão solene anual para homenagear os colaboradores do Fumdica foi criada. A mesma lei o magistrado vai sugerir a Paulão para que ele a crie em Cachoeira do Sul.

Em Rio Pardo o fundo do menor consegue atualmente em torno de R$ 120 mil por ano. Cachoeira tem quase 2,5 vezes mais habitantes e sua arrecadação anual média gira na casa dos R$ 100 mil.

Em 2016 as contribuições com o fundo somaram cerca de R$ 78 mil, sendo que capacidade do município é de colaborar com até R$ 2,8 milhões por ano com o Fumdica.

SEM APOIO

Santo e Ana dizem-se satisfeitos com o valor que o Fundo Municipal da Criança e do Adolescente conseguiu em 2016. “Considerando as no as condições de trabalho, o resultado foi excelente, pois foi praticamente sozinha que a comunidade mobilizou-se para nos ajudar”, destaca Santos, queixando-se de que a Prefeitura não oferece apoio ao conselho, que faz um trabalho voluntário.

Com a troca de governo municipal, a direção do Comdica espera um melhores condições de trabalho. “Vamos pleitear pelo menos veículo, combustível telefone e computador com internet”, acrescenta o presidente do conselho.

O Comdica funciona em sala cedida pela entidade de classe junto ao Sindicato dos Municipários de Cachoeira do Sul (Simcasul). Toda a arrecadação do Fumdica é repassada e projetos sociais que contemplem obrigatoriamente crianças e/ou adolescentes.

Em 2016 o dinheiro do fundo beneficiou, segundo o Comdica, em torno de 4 mil menores de 12 projetos.

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

JP no Facebook