Grupo Vieira da Cunha
Ensolarado

Tempo hoje

Min 14 / Max 25 +mais
Edição Impressa
10/01/2017 - 11h06

Um menino na guerra

“Uma narrativa impactante sobre as tentações do poder, a vulnerabilidade da juventude e a dor terrível de uma vida repleta de arrependimentos.” Esta é a definição do jornal “The Guardian” sobre “O menino no alto da montanha” (Editora Seguinte, 225 páginas, R$ 39,90), o mais novo livro do escritor holandês John Boyne, um dos renomados nomes da literatura contemporânea.

As obras de John Boyne já foram traduzidas para mais de 45 idiomas e entre seus títulos principais estão “O menino do pijama listrado”, “Noah foge de casa”, “A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocke” e “O ladrão do tempo”, publicados no Brasil pela Editora Companhia das Letras, entre outros.

Em “O menino no alto da montanha”, o autor retorna à Segunda Guerra Mundial, mais uma vez através dos olhos de uma criança, agora sob o ponto de vista original e perturbador. Num cenário onde o ódio aos judeus é cada vez maior e o nazismo se torna a ideologia dominante, a história acompanha a transformação de um menino doce e gentil em um jovem corrompido pelo poder.

Filho de um alemão e de uma francesa, Pierrot Fischer levava uma vida humilde com os pais em Paris, mas aos quatro anos seu pai morre e aos sete é a vez da mãe, vítimas da guerra. Sem ter para onde ir, acaba em um orfanato até receber uma carta de uma tia distante.

A tia é governanta de uma mansão na região montanhosa da divisa entre a Alemanha e Áustria e, pelo que Pierrot ouve falar, o dono da casa passa apenas algumas temporadas ali. A tia determina que Pierrot nunca fale sobre o seu passado, principalmente sobre seu melhor amigo judeu que ficou em Paris.

Pierrot descobre então que o dono da casa e patrão da tia é ninguém menos do que Adolf Hitler, o supremo líder nazista. Apesar do temor inicial, em pouco tempo o menino é acolhido por Hitler, que o presenteia com um uniforme da Juventude Hitlerista. De vítima, Pierrot vê agora a possibilidade de mudar sua maneira de pensar e de agir.


MAIS VENDIDOS DE 2016 I

Saiu, finalmente, a lista geral dos mais vendidos no Brasil de 2016, segundo pesquisa feita pela revista virtual Publishnews. O campeão foi “Como eu era antes de você”, de Jojo Moyes (Editora Intrínseca, 320 páginas, R$ 29,90), que vendeu 352.330 exemplares. Bem mais distante está o segundo lugar, “Ruah”, do padre Marcelo (Editora Principium, 96 páginas, R$ 19,90), com 228.232 exemplares.


Eis a lista dos vinte mais vendidos de 2016:

1º. “Como eu era antes de você” 352.330
(Jojo Moyes)

2º. “Ruah” 228.232
(Padre Marcelo)

3º. “Depois de você” 228.073
(Jojo Moyes)

4º. “O diário de Larissa Manoela” 178.936
(Larissa Manoela)

5º. “Harry Potter e a criança amaldiçoada” 170.130
(J. K. Rowling)

6º. “AuthenticGames” 144.053
(Marco Túlio)

7º. “Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares” 133.776
(Ramson Riggs)

8º. “Ansiedade –como enfrentar o mal do século” 129.580
(Augusto Cury)

9º. “A coroa” 110.899
(Kiera Cass)

10º. “Muito mais que cinco minutos” 104.548
(Kéfera Buchmann)

11º. “Dois mundos, um herói” 101.730
(RezendeEvil)

12º. “Segredos de Bel para meninas” 99.565
(Bell-Fran)

13º. “Grey” 99.008
(E. L. James)

14º. “O poder da ação” 98.298
(Paulo Vieira)

15º. “Philia” 97.957
(Padre Marcelo)

16º. “O diário de Anne Frank” 95.315
(Mirjam Pressler-Otto H. Frank)

17º. “Lava Jato” 80.931
(Vladimir Netto)

18º. “O homem mais inteligente da história” 78.965
(Augusto Cury)

19º. “Herobrine – A lenda” 78.233
(Pac e Mike)

20º. “A garota no trem” 77.581
(Paula Hawkins)


MAIS VENDIDOS DE 2016 II

Neste ano de 2016 não houve nenhum fenômeno de vendas comparando-se com 2015, quando estouraram os livros de colorir. Só “Jardim Secreto” vendeu 719.626 exemplares em 2015, enquanto no mesmo período “Floresta Encantada” vendeu 485.222. Como se vê, números muitíssimo superiores ao primeiro colocado de 2016 (“Como eu era antes de você”), que vendeu 352.330 cópias. O fenômeno dos livros de colorir caiu no esquecimento em 2016: nenhum deles aparece entre os vinte mais vendidos.


MAIS VENDIDOS DE 2016 III

O ano de 2016 não foi bom para o mercado livreiro, em termos globais de vendas. Nas 48 semanas de 2016, foram vendidos 34.948.644 exemplares no país, segundo levantamento do Sindicato Nacional dos Editores de Livros e a consultoria Nielsen, enquanto em 2015 foram vendidos 39.301.582 unidades, com uma queda, portanto, de 11,08 por cento. O faturamento total também caiu 3,37 por cento. A boa notícia é que em dezembro iniciou uma reação, comparando-se com dezembro de 2015: o aumento nas vendas foi de 12,54 por cento.


Leituras:

“Ontem ao entrar do sol, sentado sobre um montículo de pedras que estava fronteiro ao acampamento, eu tinha a vista e a ideia ocupadas nestas meditações, e apercebi que já era noite, quando maquinalmente olhando para o horizonte, vi uma estrela que corria, deixando após de si uma cauda luminosa. Eu me levantei, exclamando: -Ah! Talvez a minha Clarinda visse também correr esta estrela!”

(Antônio Vicente da Fontoura, na carta enviada do campo de batalha em 20 de março de 1844 para sua esposa Clarinda, que residia em Cachoeira, conforme consta em “Diário”, página 61, obra lançada em 1984 pela Educs, Livraria Sulina e Martins Livreiro Editora.)


Rodapé

Jojo Moyes, com seu “Como eu era antes de você” (Editora Intrínseca, 320 páginas, R$ 29,90), foi a grande vencedora em vendas do ano de 2016, inclusive tendo outro livro, “Depois de você”, aparecido em terceiro lugar entre os mais vendidos. “Como eu era antes de você” conta a história de Louisa Clark, que trabalha como garçonete em um café para ajudar no sustento da família e namora Patrick, um triatleta. Quando o café fecha as portas, se vê obrigada a procurar outro emprego e, sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora do tetraplégico Will Traynor, de 35 anos, rico, inteligente e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, ele desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. Com a chegada de Louisa, a vida dos dois acaba mudando completamente.



Destaques:

ÁGAPE

Autor: Padre Marcelo Rossi

Com prefácio de Gabriel Chalita, aborda questões como amor, tolerância, humildade e perdão. Em cada um dos capítulos, o livro apresenta inspiradoras orações que retomam cada um desses temas. Uma obra bela e tocante. Nascido na cidade de São Paulo em 1967, Marcelo Rossi formou-se em Educação Física em 1989 e, um ano depois, ingressou no Seminário da Diocese de Santo Amaro, onde foi ordenado sacerdote em 1994, tornando-se, em pouco tempo, um expoente do catolicismo no país.

Editora Globo. 126 páginas. R$ 19,90.


 

TUDO TEM SOLUÇÃO

Autor: Lauro Trevisan

Nesta obra, o autor colocou conhecimentos e experiências de sua longa trajetória de vida, para que o leitor acredite sempre que tudo tem solução e, muitas vezes, ela está diante dos olhos, ao seu lado, ou num fato ocasional. Até início de 2016, Lauro Trevisan publicou 87 livros, a maior parte sobre o poder da mente, a espiritualidade e motivação, vendendo milhões de exemplares no Brasil e no exterior. Seu maior sucesso foi “O poder infinito da sua mente.”

Editora da Mente. 148 páginas. R$ 32,90.

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

JP no Facebook