Grupo Vieira da Cunha
Parcialmente nublado

Tempo hoje

Min 9 / Max 21 +mais
Edição Impressa
Blog dos Bichos

Blogs

Blog dos Bichos

Cristiane Vieira da Cunha
cristiane@jornaldopovo.com.br
18/05/2017 - 10h32

Glândulas anais: saiba prevenir e tratar problemas

É muito comum nos depararmos com nossos cães arrastando a traseira no chão, como se andassem “de carrinho”. Essa atitude “engraçadinha” pode significar que nosso bichano está com problemas nas glândulas anais.

Esse órgão, como o nome já diz, é formado por dois pequenos sacos que se encontram junto ao ânus do cão, um de cada lado e que armazenam um fluido com um cheiro muito intenso que os cães utilizam para marcar território.

Ocorre que muitas vezes a glândula acumula fluidos, o que pode gerar um ambiente favorável para o desenvolvimento de bactérias, evoluindo para um quadro de abscesso e inchaço da glândula anal.

As causas para o acúmulo de fluidos são várias e podem depender de questões ambientais, problemas de saúde ou má localização das glândulas.

Um animal com fezes moles terá dificuldade de expelir o fluido, uma vez que ele depende da pressão das fezes para ser liberado.

O enfraquecimento dos músculos que exercem pressão sobre as glândulas também pode ser outro problema. Animais obesos ou idosos podem naturalmente perder força nos músculos.

O esvaziamento regular e desnecessário das glândulas anais pode levar à lesão das glândulas, que ficam dependentes deste procedimento. A obstrução do canal por onde o líquido é expelido, causando a acumulação de fluido, pode ser causado por infecções no sistema gastrointestinal ou urinário.

Os cães com alergias também estão mais predispostos a ter problemas nas glândulas anais.

Mas quando saber que a glândula adanal esta inflamada?

Se o seu cachorro começar a apresentar os sintomas abaixo, é hora de procurar um veterinário.

Morder a cauda
Arrastar o bumbum no chão
Ter dificuldade para defecar
Odor forte
Inchaço
Dor e desconforto

As glândulas anais inchadas são fáceis de detectar a olho nu, pois a zona junto ao ânus do animal fica vermelha e saliente.

Quando o acúmulo de líquido não é excessivo, é possível esvaziar manualmente as glândulas de forma rápida e fácil. Para isso basta exercer pressão com os dedos sobre cada saco de cada vez. Isto pode ser feito interna ou externamente.

É importante saber que os cães sem problemas nas glândulas anais não devem ser sujeitos ao esvaziamento rotineiro, pois conseguem fazê-lo naturalmente.

Faça check-ups frequentes para verificar se as glândulas do animal não estão inchadas e só esvazie manualmente quando recomendado por veterinário. O esvaziamento por rotina pode causar pequenas lesões que tornam o cão incapaz de esvaziar naturalmente os sacos.

  • amigo

É preciso estar logado para deixar o seu comentário. Clique aqui para fazer seu login.

Comentários (0)

  • Nenhum comentário para o conteúdo.

JP no Facebook