Adcionar aos Favoritos   Sua Página Inicial
 

   Edição de Hoje
16 e 17/6/2001

Desenvolvimento: Irapuazinho pode ser pólo industrial

O prefeito Pipa Germanos, que deverá anunciar nos próximos dias a instalação de uma indústria de material plástico na localidade de Irapuazinho, em Cachoeira do Sul, revelou nesta sexta-feira que tem um projeto mais ousado para a localidade, distante 73 quilômetros da cidade, encravada no distrito da Cordilheira. Segundo Pipa Germanos, aproveitando a boa infra-estrutura da Centralsul, que está em desuso, e a alta disponibilidade de energia elétrica com baixo custo na localidade, a intenção é atrair pelo menos mais duas indústrias do mesmo ramo. “Queremos formar um pólo naquela localidade, junto com a indústria de madeira que já tem lá e a que está se instalando”, destacou.
Segundo o prefeito, mesmo que haja um movimento emancipacionista no Piquiri, que prevê levar junto a área do Irapuazinho, é sua missão investir na localidade. “Há um potencial muito grande ali, principalmente devido ao fator energético e de economia. E sou prefeito de Cachoeira, não de parte dela. Se há potencial para atrair empresas para lá, vamos atrair”, afirmou Pipa. O prefeito explicou, também, que a emancipação da área sul do município ainda é uma proposta, não uma realidade. “Estamos trabalhando para dar mais um motivo para a comunidade de Cordilheira reconhecer o nosso esforço e refletir bastante sobre o assunto”, afirmou.
ENERGIA - A principal bandeira de atração de novas empresas para Cachoeira do Sul e para a localidade do Irapuazinho/Mineração, onde existe a estrutura das jazidas de calcário da Centralsul, é a sobra de energia e o baixo custo dela. “A energia é mais barata para compensar o custo da construção da rede e da subestação naquela localidade”, explicou o prefeito Pipa.
Ele garantiu que a Prefeitura dará totais condições para o escoamento da produção das indústrias pela estrada do Irapuazinho. A empresa de consultoria Nasgri poderá ser uma das formas de apresentar as vantagens da estrutura. O prefeito Pipa Germanos, na condição de presidente da Famurs, está tentando atrair indústrias do Centro-oeste brasileiro para o Rio Grande do Sul. Cachoeira está na rota.

UMA PERGUNTA
E a empresa que está se instalando?
Os equipamentos já estão chegando ao local. A Prefeitura espera apenas que o proprietário apresente a documentação da empresa, que emperrou na burocracia estatal, para anunciá-la oficialmente. A indústria, que vem de São Paulo, deverá gerar inicialmente 45 empregos. A empresa está se transferindo porque em São Paulo não tinha disponibilidade de água e de energia elétrica, o que é abundante em Irapuazinho. A empresa irá aproveitar uma subestação de distribuição de energia tipo 69, que teria capacidade de abastecer toda a zona urbana de Cachoeira do Sul. A nova empresa irá produzir fios de náilon e cerdas para vassouras, escovas e similares.

Importante
A formação de um pólo industrial na estrutura da Centralsul, em Irapuazinho, tem por objetivo aproveitar a disponibilidade de energia elétrica a baixo custo e criar uma estrutura que viabilize a retomada da produção na jazida de calcário, que é considerada a melhor de Cachoeira do Sul e está desativada desde o final dos anos 80.

Volta »


Prefeitura desiste de cobrar Chalé

A Prefeitura está quase desistindo de cobrar os R$ 4,8 mil gastos de aluguel com a Chalé Indústria de Bebidas em 1999. A empresa, que acabou trocando Cachoeira do Sul por Teutônia de olho em mais incentivos fiscais, teve reservado pelo Município durante quatro meses o prédio do complexo Centralsul que agora está sendo destinado à Santa Emília. Um ano e meio depois do abandono, a Prefeitura ainda aguarda pareceres do Tribunal de Contas do Estado e da Delegação das Prefeituras Municipais para saber se deve ou não deve correr atrás do ressarcimento.
De acordo com o procurador jurídico do Município, Washington Rohde, os pareceres são fundamentais para orientar a ação do Município, já que a perda do investimento foi uma novidade jurídica na atual administração. A Prefeitura nunca havia tido despesa com uma empresa que não tenha se instalado depois de anunciar a vinda e, para o procurador, a culpa não foi da Chalé. “O Banrisul negou um financiamento para eles adquirirem equipamentos e isso foi decisivo para a desistência”, afirmou Rohde, que particularmente não vê motivos suficientes para cobrar a despesa na Justiça.
Os gastos da Prefeitura com a Chalé não saíram diretamente dos cofres do Município. Os quatro meses de aluguel pagos foram negociados com a Centralsul através do abatimento de dívidas que o locador tinha com a Secretaria Municipal da Fazenda. O prejuízo com a indústria poderia ter sido maior se a Prefeitura tivesse perfurado um poço artesiano de 80 metros de profundidade para as instalações da empresa, benefício aprovado pelo Prodic com uma verba orçada de R$ 6.073,00.

Volta »


Rede estadual: Saiu o repasse das escolas

A Secretaria Estadual da Educação liberou o repasse dos recursos da autonomia financeira às escolas estaduais referentes ao mês de junho. A Secretaria da Educação calcula os valores avaliando a tipologia da escola, ou seja, se oferece ensino fundamental ou médio, quantidade de alunos atendidos, turnos de atendimento e cursos oferecidos pelo educandário.
A 24ª Coordenadoria Regional de Educação recebeu um total de R$ 70.216,66, que serão distribuídos aos educandários dos 11 municípios sob sua jurisdição. Para Cachoeira do Sul foi destinado um montante de R$ 48.042,50, distribuídos às 23 escolas estaduais do município.
A responsável pelo setor administrativo e financeiro da 24ª CRE, Rejane Cantarelli, informou que todas as escolas já receberam os valores correspondentes. Rejane explicou que o recurso da autonomia financeira é utilizado para custear as despesas de manutenção da escola, como pequenos reparos, aquisição de materiais didáticos, de expediente e limpeza, complementação de merenda escolar, bem como para aquisição de equipamentos, mobiliário e livros para a biblioteca.

Os valores
Quanto cada escola recebeu

Escola Manutenção Permanente Total repasse
João Neves
Borges de Medeiros
Antônio Vicente
Angelina Salzano
Ciro de Abreu
Vital Brasil
Rio Jacui
Liberato Salzano
Davi Barcelos
Cândida Fortes
Diva Fachin
Zilah Mór
NS da Conceição
Dinah Néri
Bairro Carvalho
Marieta Ribeiro
Ernesto Pertile
Monsenhor Armando
Jenny V. da Cunha
Juvêncio Soares
Noes
Ciep
Honorato Santos
R$ 3.221,86
R$ 3.347,89
R$ 1.828,12
R$ 675,57
R$ 1.536,05
R$ 2.024,73
R$ 1.789,54
R$ 1.580,63
R$ 1.016,51
R$ 1.486,90
R$ 2.178,48
R$ 280,63
R$ 3.506,78
R$ 364,08
R$ 586,41
R$ 675,57
R$ 121,45
R$ 213,18
R$ 169,17
R$ 632,42
R$ 295,70
R$ 8.622,49
R$ 171,46
R$ 3.104,16
R$ 980,68
R$ 591,92
R$ 298,12
R$ 563,59
R$ 554,08
R$ 563,59
R$ 411,88
R$ 345,48
R$ 487,68
R$ 1.435,72
R$ 117,96
R$ 563,59
R$ 136,99
R$ 288,60
R$ 279,19
R$ 51,67
R$ 117,96
R$ 61,08
R$ 279,19
R$ 497,32
R$ 591,92
R$ 89,52
R$ 6.326,02
R$ 4.328,57
R$ 2.420,04
R$ 973,69
R$ 2.099,64
R$ 2.578,81
R$ 2.353,13
R$ 1.992,51
R$ 1.361,99
R$ 1.974,58
R$ 3.614,20
R$ 398,59
R$ 4.070,37
R$ 501,07
R$ 875,01
R$ 954,76
R$ 173,12
R$ 331,14
R$ 230,25
R$ 911,61
R$ 793,02
R$ 9.214,41
R$ 260,98

Volta »


Ensino: Tutelar busca alunos fora da sala de aula

O Conselho Tutelar de Cachoeira do Sul ainda busca menores de 18 anos que estão fora da educação básica em Cachoeira do Sul. Nesta segunda-feira, os últimos dos 42 pais ou responsáveis notificados deverão comparecer no órgão para informar se os alunos já estão matriculados, mudaram de cidade ou, se ainda estiverem fora da escola, explicar os motivos e receber orientações das conselheiras. O conselho recolheu atestados de matrícula nas escolas e entregues pelos pais e deverá, ainda na segunda, fazer o levantamento de quantos dos notificados deram retorno ao órgão fornecendo o documento.
Conforme a presidenta do Conselho Tutelar, Vera Balardin, a relação dos alunos que não foram reencaminhados às escolas mesmo com a notificação e aconselhamento das conselheiras será entregue na terça-feira ao Ministério Público. “Aqueles que não entregarem o comprovante de matrícula até segunda-feira serão repassados ao MP. Eles já assinaram um termo de responsabilidade”, disse ela. Vera informou, ainda, que deverá pedir ao MP um prazo maior para localizar algumas famílias que ainda não receberam a notificação porque moram em locais de difícil acesso no interior do município.

Importante
Vera Balardin explicou que, neste final de semana, fará o chamamento dos pais com endereços não encontrados pelo rádio, mas acredita que, em alguns locais no meio rural, as famílias possam não ficar sabendo da convocação. Ela quer pelo menos uma semana a mais de prazo para ir de carro até as localidades.

Volta »


Sua carreira: Fale ou cale-se para sempre

Cuidado com o que você fala. Segundo a professora Sarah McGinty, da escola de educação da Harvard University, o seu estilo de linguagem pode ajudá-lo a alcançar o sucesso profissional - ou, infelizmente, atravancar o seu caminho. Porque um dos componentes básicos do poder (para conquistá-lo ou mantê-lo) é a forma de se comunicar. Veja algumas das conclusões de Sarah, especialista em lingüística e literatura que durante três anos deu um curso em Harvard sobre as políticas de linguagem.
Descubra as táticas que dão certo. Observe como falam os chefes e os colegas mais elogiados, procurando identificar o estilo das pessoas que são promovidas. Pergunte ao chefe, depois de uma reunião, quais as idéias que o marcaram e procure lembrar-se de como elas foram apresentadas. Em seguida, analise seu próprio estilo, incluindo, por exemplo, depois de uma negociação, o modo como você agiu. Pergunte-se: foi a maneira mais eficiente para chegar a um resultado naquela situação? Faça pequenos ajustes, mas cuidado para não usar nenhum método que violente a sua personalidade.
Mas, dentro de uma certa margem, experimente atitudes que você normalmente não tomaria, como levantar sua voz, se você é um tímido incorrigível, ou demonstrar interesse no interlocutor, se você costuma atender a todos com pressa. Faça essas experiências em ambientes que apresentem poucos riscos (não, não tente sair gritando com o chefe), para moldar seu estilo aos poucos. Identifique a melhor maneira de agir em cada ambiente, em cada situação dentro deste ambiente. É um aprendizado contínuo, que requer rapidez de raciocínio. Você só a terá se estiver consciente de que precisa escolher, a cada momento, que estilo vai adotar.

As características
Identifique seu estilo
Este quadro foi montado para ajudá-lo a identificar seu estilo. As características estão na maior parte das vezes exageradas, para ser mais bem identificadas. Note que não há pontos positivos e negativos, mas sim, para cada caso, respostas adequadas ou inadequadas.

Fraco Forte
. Insere muitas perguntas no discurso . Costuma dar declarações inquestionáveis
. Sempre pede opiniões . Não gosta de ser interrompido
. Gagueja ou titubeia ao expressar opiniões . Expressa opiniões sem explicá-las
. Seu tom de voz é mais baixo do que o normal . Seu tom de voz é mais alto do que o normal
. Faz rodeios, enche o discurso de citações . É direito, não costuma dar crédito a opiniões alheias incorporadas ao seu discurso
. Não termina as frases ou as termina com reticências . É incisivo na maioria das frases, seu discurso parece ter vários pontos de exclamação
. Acelera o ritmo da fala, atropela palavras . Fala pausadamente. A não ser quando quer encerrar a conversa rapidamente.
. Insere frases que põem em dúvida as suas afirmações (do tipo “não sei se estou certo, mas”...) . Usa frases que marcam sua autoridade (do tipo: “como eu já disse antes” ou “este é o jeito correto”)
. Ocupa pouco espaço físico ao falar (encolhe-se na cadeira, levanta pouco a mão ao pedir a palavra) . “Espalha-se” ao falar, abrindo um pouco as pernas, fazendo gestos mais abertos, semno entanto “esparramar-se”, denotando displicência.
. Fica calado com freqüência, mesmo tendo algo a dizer . Fica calado com freqüência, por não ver necessidade de dividir informações.
. Quando fala, costuma ser prolixo. Volta várias vezes ao mesmo ponto . Quando fala, costuma ser sucinto. Irrita-se quando tem que explicar duas vezes o
mesmo ponto

Volta »


Mutirões: Projeto segue para o Amorim

Nesta segunda-feira começa no Bairro Alto do Amorim mais uma etapa do mutirão de limpeza da Prefeitura. Segundo o diretor da Secretaria Municipal de Trabalho e Ação Social, Elso Siqueira, no Alto do Amorim o mutirão será com força máxima, 20 mutirantes, que serão confirmados ainda na segunda pela manhã.
Na sexta-feira encerrou a etapa do mutirão no Bairro Aldeia, que beneficiou 15 trabalhadores que estão desempregados e aceitaram trocar trabalho voluntário nas ruas do bairro onde moram por um sacolão com 24 quilos de alimentos. Na próxima semana o titular da Stas, Santo Tavares, realizará novo sorteio entre os bairros da cidade para apontar os rumos do projeto.

Volta »


Ação social: Casinha nova para moradora do Cristo Rei

O secretário municipal de Trabalho e Ação Social, Santo Tavares, e o diretor da pasta, Elso Siqueira, entregaram na tarde desta sexta-feira uma casinha nova, construída pela Prefeitura, para Maria Gracinda, 62 anos, que estava vivendo em situação de risco. A residência de Maria Gracinda, no Bairro Cristo Rei, estava ameaçando cair. Ela procurou ajuda na Stas e seu caso foi considerado prioritário. A nova casa, na Rua São Pedro, 6, de cinco metros por quatro metros, abriga Maria Gracinda, filha e dois netos menores de idade.

Volta »


Bairros: Fátima fará nova eleição de presidente

Após ter ficado um ano sem presidente e, por conseqüência, fora de todos os projetos que exigiam associação de moradores organizada, o Bairro Fátima está convocando novas eleições. A partir desta segunda-feira a Ucab estará recebendo a inscrição de chapas. A eleição só será possível porque o processo existente na Justiça referente ao último pleito travou a escolha de nova diretoria.
A presidenta da União Cachoeirense de Associações de Bairro, Maria Mercedes Trindade, pretende encontrar-se nesta semana com a diretoria da comissão provisória que atua no bairro atualmente para definir a data da nova eleição. “Tenho conhecimento de pelo menos duas chapas que estão interessadas em candidatar-se à diretoria. Acredito que a comissão provisória também deverá mobilizar-se para a eleição”, disse Mercedes.
A presidenta Maria Mercedes informa que nesta sexta-feira foi procurada pela presidenta eleita da Associação de Moradores do Bairro Fátima, Leandra Santana, que lhe informou ter retirado definitivamente o processo que havia movido na Justiça para defender-se das acusações de irregularidade na eleição. Leandra foi eleita em maio do ano passado mas sequer chegou a ser empossada. Uma das moradoras do bairro denunciou irregularidades na documentação da chapa da candidata, que procurou defesa na Justiça.
Leandra já havia contatado a diretoria da Ucab manifestando o desejo de retirada do processo. “Não existia de fato mais nenhuma razão para manter a ação judicial. Ela não poderia mais ser empossada, ainda que ganhasse a ação, pois não reside no bairro, infringindo uma das normas para integrar a diretoria da associação”, explicou Mercedes.

ATENÇÃO
Em decorrência da ação judicial movida por Leandra, o bairro está fora de projetos como o de mutirões de limpeza da Secretaria Municipal do Trabalho e Ação Social (Stas) e tem dificuldades para garantir recursos para manter sua sede e ter as suas demandas atendidas pela Prefeitura Municipal.

Volta »


Evento: Vem aí o 1º Pesca-fest Show

De 12 a 14 de outubro Cachoeira será a sede dos esportes e competições náuticas do Rio Grande do Sul. Neste período a cidade sediará o 1º Pesca-fest Show, série de atividades dentro e fora do Rio Jacuí que tem o objetivo de incrementar o turismo aproveitando o manancial fluvial da cidade. O evento é uma promoção da Colônia de Pescadores Z-13, em parceria com o Clube de Caça e Pesca e o Grêmio Náutico Tamandaré (GNT), com organização da agência Dreyer & Cia. Todas as atividades estão ligadas à pesca amadora, mas algumas atrações são voltadas às áreas de lazer, esportes e apresentações artísticas, entre outras incluídas no calendário social.
Os promotores vão definir o calendário oficial a partir desta segunda-feira. O coordenador-geral do 1º Pesca-fest Show, Lourenço Anversa Filho, adianta que a maioria das atividades utilizará as sedes campestres do GNT e do Caça e Pesca, à beira da margem esquerda do Jacuí. No local será erguido um lonão onde serão montados estandes para expositores de produtos e artefatos de pesca. Os preços de venda dos espaços está na pauta desta semana. As inscrições de expositores abrirão após a definição do regulamento geral do evento e poderão ser feitas na agência Dreyer & Cia, no GNT e no Caça e Pesca. Na internet é possível saber mais sobre os assuntos ligados à pesca no endereço www.pescafest.hpg.com.br.
No endereço na rede também é possível se inscrever para o concurso de mentiras de pescadores, para a feira de artesanato, torneio de pesca e seminário de pesca e meio ambiente, alguns dos eventos paralelos do Pesca-fest Show, avisam os presidentes dos clubes envolvidos, Júlio Meira (GNT) e Estevão Xavier Pereira (Caça e Pesca), que estiveram no Jornal do Povo na tarde desta sexta-feira para promover o evento.
O 1º Pesca-fest Show terá apoio oficial da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), que garantiu mídia nacional em programas de tevê e revistas especializadas em pesca no Brasil, adianta João Carlos Dreyer, responsável pela divulgação da promoção.

Importante
O diretor da agência Dreyer & Cia, João Carlos Dreyer, destaca que o evento já está atraindo atenção de clubes e equipes de pesca do Brasil. Nesta sexta-feira ele recebeu e-mail da equipe de pesca esportiva Maré Cheia e da revista Pesca Aventura, ambas de São Paulo, pedindo informações sobre a realização cachoeirense.

1º PESCA-FEST SHOW
O que está programado
Exposição-feira de produtos e artefatos de pesca, num espaço de mais de 100 metros quadrados, nas sedes náuticas do GNT e do Caça e Pesca. Os espaços serão montados ao ar livre e sob um lonão
Torneio de pesca:
Categoria aberta, de barranco - classes juvenil e adulto, individuais ou de duplas. Nesta categoria os promotores estão tentando apresentar uma novidade: uma plataforma flutuante móvel será instalada Jacuí adentro para receber os pescadores
Categoria embarcada (em barcos) - classes adulta, individual ou por equipes
Seminário de pesca e meio ambiente
Ações visando o repovoamento do Rio Jacuí: os promotores do evento vão propor ao Governo Municipal a reativação da estação de crescimento de alevinos que funciona no Patronato Agrícola. Depois de grandes, os alevinos serão despejados no Jacuí
Feira de Gastronomia - Os clubes GNT e Caça e Pesca promoverão um festival de pratos à base de peixes de água doce
Feira de Artesanato - os expositores e artesãos do Brique da Bonifácio serão convidados a mostrar seus trabalhos durante toda a promoção
Mateada - distribuição gratuita de erva-mate e água quente
Shows e apresentações artísticas - Os promotores convidarão bandas musicais e atrações artísticas para os três dias do Pesca-fest Show. Dreyer garantiu que uma atração de expressão estadual estará presente no cast de shows
Concurso de mentiras de pescadores - Os participantes poderão contar piadas e ganhar prêmios. A atividade contará com a presença de vencedores dos concursos de mentiras realizados em Venâncio Aires, Paraíso do Sul e Nova Bréscia
Desfile de Barcos e candidatas a rainha do evento - as embarcações e as meninas que concorrerão no concurso passearão pelas principais ruas da cidade, no dia 13 de outubro, pela manhã
Baile da pesca com escolha da rainha - na noite do dia 13 acontecerá o baile oficial do evento, na sede social do GNT, com prêmio de uma viagem ao Natal Luz de Gramado à vencedora do concurso

Volta »


Rural: Prefeitura ajuda feirantes

O prefeito Pipa Germanos assinou nesta sexta-feira, na Feira Livre Municipal, contratos que beneficiarão 53 pequenos produtores de hortifrutigranjeiros com calcário para a correção do solo e as oito miniusinas de leite com sêmen congelado para a inseminação precoce do rebanho leiteiro. Serão distribuídas gratuitamente aos feirantes 200 toneladas de calcário. O produto foi obtido gratuitamente com a Centralsul. Os produtores só terão que pagar o diesel do caminhão que distribuirá.
A Prefeitura investiu, também, cerca de R$ 500,00 para repassar 70 doses de sêmen de touros das raças holandesa e gir para a qualificação genética do rebanho de leite dos produtores que trabalham com oito miniusinas em Cachoeira do Sul. O rebanho total destas famílias chega a 150 vacas leiteiras que produzem, em média, 10 litros diários. “Com a qualificação genética do plantel, queremos chegar a uma produção de até 30 litros diários”, afirmou o secretário municipal de Agricultura e Pecuária José Derli Mourales Pereira. O custo dos produtores será apenas com o inseminador, que cobrará uma taxa de R$ 10,00 por animal.

Volta »


Arroz: Irga prepara II Congresso do Irrigado

O Instituto Rio-grandense do Arroz (Irga) realiza de 26 a 29 de agosto, em Porto Alegre, o II Congresso Brasileiro de Arroz Irrigado e a XXIV Reunião da Cultura do Arroz Irrigado, evento destinado aos técnicos e pesquisadores do setor da Região Sul. O evento bianual reúne universidades, institutos de pesquisas e entidades governamentais do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. É neste encontro que são apresentados os principais resultados dos estudos sobre arroz irrigado.
A promoção é do Irga, da Embrapa Clima Temperado, da Epagri (SC) e da Sosbai (entidade que congrega os pesquisadores da área de arroz irrigado). O chefe da divisão de pesquisas do Irga, Maurício Fischer, confirmou a presença de pesquisadores do Uruguai, da Argentina e outros países latino americanos com a apresentação de trabalhos e como debatedores sobre as tendências da lavoura arrozeira. “O evento ganha âmbito internacional também com a presença de pesquisadores de institutos como o Ciat, o Irri e o Cirad”, disse. Trabalhos de outros estados também deverão ser inscritos. “Não podemos esquecer que há lavouras irrigadas de arroz fora da Região Sul”, lembra.

UMA PERGUNTA
Quais os temas do congresso?
Os novos nichos de mercado
Tendências mundiais
Adequações necessárias para o atendimento da demanda
Preços
Consumidores internacionais
Caminhos da produtividade e da qualidade do arroz nacional.
“Vamos discutir desde fontes de financiamento das pesquisas até agroclimatologia, meio ambiente, produtividade, qualidade do arroz e mercado, além das novas descobertas e tendências da pesquisa, biotecnologia, novas cultivares e outros temas científicos de repercussão na lavoura”, garantiu o chefe de pesquisa do Irga, Maurício Fischer.

Volta »


Pecuária: Cachoeira terá IX Jornada de Bovinos

A pecuária de Cachoeira do Sul tem grande destaque no mercado de carnes pela característica de terminação de animais de alta qualidade corporal e genética. Dentro deste contexto, onde se destaca a Cooperativa Pecuária Sul Carnes Ltda (Coopec) com a produção de novilhos jovens, os Cites e as cabanhas, o setor pecuário de Cachoeira começa a trilhar o caminho da qualificação em busca de uma maior fatia do mercado e um diferencial: preço. Em busca desta qualidade e deste diferencial, a IX Jornada de Bovinocultura de Corte vai abordar três temas centrais que apresentam práticas para atingir estes objetivos nesta quinta-feira, no Parque Ivan Tavares, numa promoção da Emater.
O Sindicato Rural e a Secretaria Municipal de Agricultura e Pecuária também participam da organização. O veterinário Celso Ariosto Borges da Silveira, da Emater, destaca que a linha foi definida para o atendimento de um mercado crescente, com grande potencial e onde a exigência do consumidor com relação à qualidade e à sanidade é cada vez maior. Borges da Silveira lembra que o rebanho bovino de Cachoeira tem 270 mil cabeças e se constitui em um esteio da economia. Por estas razões, os organizadores definiram uma linha de qualificação da produção de carne como prioridade para a jornada técnica. Todas as três palestras do encontro vão abordar temas que já têm experiências práticas, relação de custos e, principalmente, viabilidade econômica.

O programa
O que vai ser discutido
9h
Utilização e manejo sustentável do campo nativo e forrageiras, para alcançar altas produtividades em bovinocultura de corte.
Carlos Nabinger - UFRGS
O palestrante vai mostrar que é possível alcançar altas produtividades na pecuária de corte com uma boa utilização do campo nativo e forrageiras, dentro de um sistema de manejo sustentável. Muitas vezes as propriedades têm disponibilidade de comida para o gado, mas a utiliza mal por desconhecimento.
10h30min
Alternativas de alimentação para produção de carne do desmame precoce ao novilho jovem e suas viabilidades econômicas
Leonir Pascoal - UFSM
A técnica do desmame precoce é largamente difundida e utilizada em Cachoeira do Sul. O professor da UFSM vai abordar alternativas de preparo de alimentação para os animais no sentido de produzir novilho precoce de uma maneira mais rápida e com melhor qualidade.
14h
Produção de novilho superprecoce - 12 a 15 meses.
Paulo Roberto Moreira Ene - Emater/RS
O especialista da Emater de Rio Pardo irá falar sobre a produção do novilho superprecoce, que é um passo a frente na produção de carnes de qualidade. Ele apresentará dados da pesquisa e das propriedades rurais que já desenvolvem este sistema de produção com viabilidade econômica. Paulo Roberto Moreira Ene vai explicar como a produção do novilho superprecoce modifica todo o ciclo de produção dentro de uma propriedade, seus efeitos, como o maior custo pode ser compensado pela garantia de mercado, os níveis de rentabilidade e outros ganhos adicionais.
Fonte: Escritório da Emater/RS

Volta »


Primeiro emprego: Sine faz 1º contrato com autônomo do RS

O Sine/Cachoeira do Sul foi mais uma vez pioneiro no Rio Grande do Sul dentro do Programa Primeiro Emprego. Desde o último dia 1º, a estudante de ensino médio Cláudia Denise Silva Machado está trabalhando no escritório da contabilista Dênia Alice Brum graças à intermediação da agência, o que se tornou o primeiro contrato entre um jovem desempregado e uma profissional autônoma através do programa estadual. A efetivação do contrato só foi possível depois do pacote de mudanças aprovado pela Assembléia Legislativa no programa.
A novidade foi trazida ao Jornal do Povo pelo coordenador da agência, Januário Lima Filho, depois da confirmação da coordenadoria regional da FGTAS. Cláudia, que freqüenta o ensino médio à noite na rede estadual, terá um salário de R$ 210,00 por mês. O contrato dela terá validade de um ano, sendo que o escritório vai responder por seis meses de pagamento e o Estado vai pagar os outros seis meses restantes. “Sempre achei o Primeiro Emprego um excelente programa para o jovem e para as empresas e a mudança que me permitiu a contratação foi muito importante e veio em boa hora”, avaliou Dênia. A intermediação foi comemorada pelo coordenador Januário: “é mais uma vitória da agência, que foi a primeira a conveniar no início do programa, a primeira a empregar jovem no campo e a primeira a colocar deficientes físicos no mercado de trabalho depois das mudanças”.

Volta »


Entidades: Ajovem faz 1ª reunião do PGQP

Nesta segunda-feira a Associação de Jovens Empresários (Ajovem) e o Comitê Regional da Associação Qualidade RS/PGQP de Cachoeira do Sul promovem a primeira reunião geral da nova gestão para apresentar práticas de gestão baseadas nas ferramentas da qualidade total. A reunião acontecerá no salão de eventos da Escola São Pedro, às 19h30min.
A cada edição das reuniões serão apresentados dois cases de sucesso. No primeiro encontro, a coordenadora do programa de qualidade da Líder Tratores, Juliana Jaeger Beckel, abrirá o evento com a explicação sobre o estágio da QT na sua empresa. A segunda parte será ocupada pelo diretor administrativo e financeiro da indústria de confecções Pitt, de Santa Cruz do Sul. Para o próximo mês, dia 16, estão confirmadas as participações do Jornal do Povo e da Sadia.

Volta »


Comércio: Liminar garante a 7 para camelôs

Três dos cinco camelôs que foram retirados pela Prefeitura Municipal da calçada do lado do comércio da Rua 7 de Setembro ganharam na Justiça o direito de voltar ao local já neste sábado. Valter Carneiro, Manuel Clori Duarte e Thomaz Lau Pereira Júnior poderão recolocar suas bancas nos pontos tradicionais porque foram beneficiados com uma decisão judicial.
A juíza Lílian Ritter deferiu uma liminar liberando os três camelôs a voltarem a trabalhar nos seus pontos. Um quarto camelô não entrou na Justiça. O quinto, a vendedora ambulante Liane Santos, não foi notificada para sair e não entrou na Justiça.
Segundo o advogado dos camelôs, Nilton Santos, a juíza aceitou os argumentos de um mandado de segurança com pedido cautelar de suspensão do ato administrativo que suspendeu a licença especial para que os camelôs trabalhassem na calçada da Rua 7 de Setembro. “A mesma lei que a Prefeitura e o Ministério Público utilizaram para retirar os ambulantes, aliada à Constituição Federal, serviu de proteção a eles”, afirmou o advogado.
Ele explicou que, como a lei municipal de 1986 não prevê local para os camelôs trabalharem e este ponto não foi demarcado, eles têm o direito adquirido de continuar trabalhando nos pontos que utilizam há anos e para os quais já obtiveram até alvarás.
A Prefeitura ganhou 10 dias para recorrer da decisão. O prefeito Pipa Germanos afirmou que o assunto será encaminhado à Procuradoria Jurídica e que o tema será tratado com o promotor de defesa comunitária Jayme Weingartner Neto. “A medida foi tomada porque um comerciante se sentiu ofendido com a presença dos camelôs, procurou o promotor e provocou toda esta situação. A Prefeitura entrou nesta situação por força das exigências da lei”, explicou Pipa.
Segundo ele, não há recursos para construir o camelódromo agora e a lei será regulamentada em 30 dias. Na manhã desta sexta-feira houve uma reunião no Gabinete do Prefeito para começar a dar forma à lei complementar.

Prefeitura impediu montagem das bancas
A ação do fiscal da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio (Smic), Cláudio Stefanello, e mais oito brigadianos impediu que os camelôs montassem suas bancas na Rua 7 de Setembro, no ponto onde costumam trabalhar, nesta sexta-feira. Quando os vendedores chegaram, às 6h30min, já encontraram o fiscal e os brigadianos, que os orientaram a montar as bancas no outro lado da rua, na Praça Bonifácio. O camelô conhecido como Paulinho ainda tentou montar a banca na Rua Milan Krás, mas não lhe foi permitido e ele se retirou em protesto.
Os outros quatro camelôs foram para o outro lado da rua e ficaram esperando o resultado da ação judicial. “Sempre acreditamos na Justiça, pois aqui na praça não há condições de trabalhar. Estamos desprotegidos e, se vem um temporal, estas árvores oferecem até risco à vida”, afirmou Manoel Clori Duarte. O vendedor ambulante Valter Carneiro afirmou que o movimento do dia foi inferior à metade de um dia normal de trabalho no outro lado da rua. Duarte reclamou mais. “Não chegamos a 20% do movimento normal”, afirmou.

Importante
A Prefeitura terá ainda 30 dias para regulamentar a lei municipal que determina o estabelecimento de um local para os camelôs até que seja construído o camelódromo. A Prefeitura deverá recorrer da decisão judicial e tentar cassar a liminar. Os camelôs aceitam ficar na calçada da Praça José Bonifácio se forem construídas bancas padronizadas, como as da praça de alimentação da Rua Milan Krás.

Volta »


Desenvolvimento: Cidade forma duas frentes pela termo

Cachoeira do Sul passa a lutar a partir desta segunda-feira com duas frentes e uma estratégia única na campanha pró-usina termoelétrica do Iruí. A partir de agora, o prefeito Pipa Germanos vai utilizar sua influência como presidente da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) para apoiar a mobilização iniciada pela Cacisc há duas semanas. A parceria, tão reivindicada pela entidade devido à posição ocupada pelo prefeito hoje no cenário político do estado, foi acertada em reunião-almoço nesta sexta-feira.
A primeira providência de Pipa será reunir os municípios carvoeiros do Rio Grande do Sul para uma investida coletiva em cima dos governos federal e estadual. Segundo o prefeito, muitos municípios gaúchos e não só Cachoeira do Sul esperam por um sinal positivo para o aproveitamento do carvão e autorização de projetos termelétricos e, neste momento de grave crise do setor energético do país, “é preciso olhar essa situação com mais carinho”.
Pipa, no seu dia de expediente na Famurs, quinta-feira, deve começar a contatar os prefeitos de municípios como Candiota, Charqueadas e Minas do Leão, entre outros, para um encontro de discussão e encaminhamento do assunto. “A Famurs vai lutar por uma política de apoio ao setor e passar a pressionar Estado e União”, avisou ele.

Importante
A entrada do prefeito Pipa Germanos na mobilização alterou o planejamento da Cacisc, que freou a viagem da comitiva cachoeirense a Brasília para primeiro ouvir o empresário Rui Esteves, diretor da Contest Engenharia, que lidera um dos dois projetos para a termo do Iruí (o outro é guardado a sete chaves pelo prefeito). A entidade, de acordo com o presidente Hilton De Franceschi, vai sugerir a data de 25 de junho para o empresário vir à cidade explicar do que depende o sim dos investidores e, além disso, comenta-se nos bastidores que os empresários vão exigir de Esteves a garantia de que a termo ficará em território cachoeirense a partir da provável emancipação dos distritos de Capané e Cordilheira, que levariam toda a jazida de carvão mineral de Cachoeira do Sul junto com o novo município.

Os personagens
PIPA GERMANOS
Estava fora da mobilização da Cacisc pela termoelétrica, mas mudou a postura e entrou de cabeça no projeto. Vai colocar a estrutura da Famurs a favor de Cachoeira
HILTON DE FRANCESCHI
O presidente da Cacisc já puxa desde o início a mobilização. A idéia é ir a Brasília forçar a tramitação do projeto, aconselhado pelo expert Alcides Saldanha
RUI ESTEVES
O diretor da Contest Engenharia, Rui Esteves, tem projeto tramitando para instalar uma termoelétrica para aproveitar o carvão de Iruí. Existe um segundo (e secreto) projeto

Volta »


Termoelétrica do Iruí: RS ganhou só 1 termo a carvão desde 98

A Agência Nacional de Energia Elétrica, de acordo com informações disponibilizadas em sua home page (www.aneel.gov.br), autorizou o funcionamento de apenas 10 usinas termelétricas no Rio Grande do Sul desde 1998, quando foi criado o órgão, e apenas uma delas a base de carvão mineral, como a dos projetos cachoeirenses, em Candiota, no ano passado. Todos os outros nove projetos utilizam produtos como óleo diesel e gás natural como combustíveis.
No Brasil, das 73 termelétricas autorizadas desde 98, apenas mais uma, em Sepetiba, no Rio de Janeiro, utiliza o carvão. Uruguaiana, por exemplo, teve duas termos aprovadas quase ao mesmo tempo, uma a gás, aproveitando o Gasoduto Argentina/Brasil, que está partindo do município, e outra a partir da queima da casca de arroz.
A explicação da Aneel para tanta preocupação com os projetos que tratam de carvão como fonte geradora de energia é a de que a queima do produto é prejudicial ao meio ambiente quando o enxofre é liberado na atmosfera. Se o projeto não prevê uma compensação para o impacto ambiental certamente não recebe o aval dos órgãos ambientais que estudam os planos e, conseqüentemente, do conselho-diretor da Aneel, que bate o martelo.

Importante
O diretor da Contest Engenharia, Rui Esteves, explicou ao Jornal do Povo que é exatamente esta preocupação ambiental que faz com que projeto de termos a base de carvão emperrem em Brasília. A Contest tem dentro do projeto da termo do Iruí um subprojeto de aproveitamento do enxofre liberado pela queima do carvão no beneficiamento de subprodutos para indústrias de diversos ramos, entre eles a cimenteira.

O projeto
Usina do Iruí
Complexo de geração: duas usinas termoelétricas a carvão
gerando 125 quilowatts cada e uma a gás gerando 450 quilowatts
Investimento total: 300 milhões de dólares, sendo 240 milhões nas termoelétricas
Localização: complexo da mina do Iruí
Combustível: carvão e gás natural
Consumo: 900 mil toneladas de carvão/ano, 100 mil toneladas de calcário/ano e 2,5 milhões de metros cúbicos de gás/dia
Tempo de construção: 36 meses
Empregos estimados para a obra: três mil
Empregos estimados para usinas e mina: 800 empregos diretos
Impacto ambiental: zero
Fonte: sumário do projeto original

Volta »


Convênio da saúde: Unimed vai atender os vovôs do asilo

A Unimed Cachoeira do Sul assinou na sexta-feira um convênio garantindo atendimento a todos os idosos do Asilo da Velhice Nossa Senhora Medianeira. As assinaturas ocorreram junto com a solenidade em que a cooperativa médica renovou também a parceria que garante consultas à Associação dos Portadores de Deficiência Auditiva (Apada) e à Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).
O presidente da Unimed, Jorge Martines, explicou que a partir de agora os cerca de 100 idosos do asilo terão atendimento diário no Pronto-atendimento 24 Horas do Poço Comprido, sem limite de consultas. “A entidade poderá deslocar os idosos até o PA para que sejam realizadas as consultas. Se eles não tiverem condições físicas para o deslocamento, nossa equipe do Serviço de Atendimento Domiciliar irá ao asilo verificar o estado de saúde do paciente e, se necessário, fará o transporte até a Unimed”, disse.
O presidente do asilo, Oscar Becker Sobrinho, elogiou o apoio da cooperativa médica. “Só temos que agradecer o apoio da Unimed, que está acolhendo os nossos idosos. Nós continuaremos com o apoio do Sistema Único de Saúde e de nosso médico particular, mas, agora, com a Unimed, o atendimento será mais qualificado”, ressaltou.

ATENÇÃO
Para a Apada, a Unimed garante gratuitamente 10 consultas mensais nos consultórios. Já a Apae também recebe o mesmo número de consultas com a rede de médicos, além de cinco no Pronto-atendimento 24 Horas.

Importante
Durante a solenidade, que contou com as presenças da presidenta da Apada, Luciana Rodrigues Camargo, do presidente e da diretora da Apae, respectivamente Ivonne Domingues Severo e Marli Dias Machado, além do vice-presidente da Unimed, Tadeu Gomes, o presidente da cooperativa Jorge Martines salientou que o apoio às entidades só vem confirmar o compromisso da cooperativa em colaborar com a comunidade cachoeirense: “A partir de agora o asilo é área protegida da Unimed”.

Volta »


Turismo: E o Jacuí retoma seus passeios

O Rio Jacuí vai voltar a ver, depois de muito tempo, um passeio turístico pelas suas águas. O guia de turismo Nelson Arthur Homrich vai promover neste sábado, a partir das 9h, com apoio da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Cachoeira do Sul, uma incursão pelo rio no barco Cristine, que está atracado no Clube Caça e Pesca e foi adaptado especialmente para o evento.
De acordo com Nelson Homrich, a iniciativa vai dar o pontapé inicial numa aposta da Associação dos Guias de Turismo de Cachoeira do Sul de exploração turística do Rio Jacuí, “que foi muito comentada nos últimos anos mas não teve nenhuma ação prática”.
O primeiro passeio será utilizado como teste e, dependendo do sucesso, vai virar roteiro permanente. Até mesmo por isso foram convidados muitos empresários e lideranças da comunidade para participar. O barco terá capacidade para 20 pessoas, mas 40 vão participar do evento, que inclui almoço na Granja Roesch. O horário de retorno está previsto para as 16h, via Jacuí.

Importante
40 pessoas vão participar do passeio de barco porque um grupo vai direto num veículo van para a Granja Roesch. No retorno, este grupo é que volta no Cristine. O grupo que acompanhou a primeira parte do passeio retorna na Van.

Para saber mais
O roteiro do Cristine
Embarque no Caça e Pesca
Subida do rio, com passagem pelo eclusa da Ponte-barragem do Fandango e 10 minutos de navegação
Retorno com passagem pela Praia Velha, Praia Nova, Charqueada do Paredão, Almas, Alminhas, Porto Cebola e Capão Grande
Chegada às 11h na Granja Roesch
Almoço com bebida inclusa a partir do meio-dia
Retorno previsto para as 16h

Atenção
O valor é de R$ 25 por pessoa, com almoço incluído.

Volta »


Supletivo: Inscrição inicia segunda. É grátis

Começam nesta segunda-feira em Cachoeira do Sul as inscrições gratuitas para os exames supletivos dos ensinos fundamental e médio. O período vai até o próximo dia 29. Os candidatos devem procurar a 24ª Coordenadoria Regional de Saúde (24ª CRE), das 8h30min às 11h30min ou das 14h às 17h30min. É necessário apresentar original e cópia da carteira de identidade, militar ou de trabalho. Os interessados da região deverão vir a Cachoeira se inscrever e, em outubro, responder as provas, ou procurar as secretarias municipais de Educação de Agudo ou Paraíso do Sul ou, ainda, a Escola Estadual Francisco Manuel, de Restinga Seca, que também estão inscrevendo e organizarão exames locais.
Conforme uma das assessoras de inscrição da 24ª CRE, Geani Cardoso, os interessados devem observar as idades mínimas para os exames. Ela explicou que, até a data da prova, o inscrito para o ensino fundamental deverá ter 15 anos completos e o do ensino médio, 18 anos. Cada candidato poderá se inscrever para quantas disciplinas quiser. Através dos exames, o candidato tem a chance de garantir o certificado de conclusão de um nível ou a aprovação em alguma disciplina que tenha ficado pendente na vida escolar, sem a necessidade de ter freqüentado aulas na educação de jovens e adultos ou ensino regular.
DATAS E HORÁRIOS - As provas do ensino médio acontecerão nos dias 6, 7 e 20 de outubro e as do fundamental, nos dias 20 e 21 de outubro. Para obter aprovação, o candidato deverá ter o mínimo de 50% de acertos na disciplina escolhida. O local dos exames será definido após o término do período de inscrições, pois depende do número total de inscritos. As datas e horários dos testes são iguais para todo o estado. Em Cachoeira do Sul, mais de 3.000 são esperados para as provas.

Importante
O exame do supletivo foi reformulado, passando a oferecer para o candidato, no momento da inscrição, a indicação de uma bibliografia básica para as disciplinas e outra de apoio. As inscrições podem ser feitas por procuração específica, desde que constem as disciplinas no documento as disciplinas para as quais o procurador está autorizado a cadastrar o candidato.

EXAMES SUPLETIVOS
Manual do candidato
1. Quem pode se inscrever
Aqueles que ainda não concluíram os ensinos fundamental ou médio ou ficaram com dependência de aprovação em uma ou mais disciplinas em qualquer dos níveis
Idades mínimas:
Ensino fundamental - candidatos a partir de 15 anos
Ensino médio - candidatos a partir de 18 anos
2. Onde se inscrever
24ª CRE
Secretarias municipais de Educação de Agudo ou Paraíso do Sul
Escola Estadual Francisco Manuel, em Restinga Seca
3. Até quando se inscrever
De segunda-feira ao próximo dia 29
4. Quanto custa a inscrição
A inscrição é gratuita
5. Documento necessário
Original e cópia da carteira de identidade, militar ou de trabalho
6. As provas
Ensino médio
Dia 6 de outubro - Língua Estrangeira/Literatura, às 14h
História/Química, às 20h
Dia 7 de outubro - Língua Portuguesa, às 14h
Geografia/Física, às 20h
20 de outubro - Matemática/Biologia, às 14h
Ensino fundamental
Dia 20 de outubro - História/Geografia, às 20h
Dia 21 de outubro - Português, às 14h
Matemática/Ciências, às 20h

24ª CRE recebe um automóvel
O Governo do Estado fez nesta sexta-feira a entrega de um automóvel Corsa Wagon zero-quilômetro à 24ª Coordenadoria Regional de Educação. A solenidade de entrega aconteceu em Porto Alegre, onde todas as coordenadorias do estado foram contempladas com um automóvel. A solenidade de recebimento do automóvel pela cidade ficou marcada para esta segunda-feira.

Volta »


Cotidiano: Escola também precisa de um amigo

Amigo que é amigo está sempre presente nas horas em que mais se necessita, um amparo valioso no cotidiano de uma comunidade. É assim que tem acontecido em vários colégios de Cachoeira do Sul, onde pessoas que integram a comunidade escolar dedicam algumas horas por semana no atendimento voluntário de alunos. O projeto Amigos da Escola é uma realidade, por exemplo, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Alarico Ribeiro, no Bairro Alto do Amorim, e na Escola Estadual de Ensino Fundamental Angelina Salzano Vieira da Cunha, no Bairro Fátima.
Nestes dois casos, pais de alunos estão atuando como co-responsáveis pela educação extracurricular, paralelamente às atividades que os professores passam em sala de aula. Os amigos da escola primeiro pesquisam para identificar onde a escola necessita de sua colaboração, explica a diretora do Angelina, Silandra Badch Rosa. Ela recebe um grupo de voluntários durante todos os dias da semana, em horários alternados conforme as agendas deles permite. Na escola são desenvolvidas atividades que vão desde aulas de dança e escolinha até hora de contos infantis e trabalhos manuais, entre outras ações, complementa ela.
É o caso, por exemplo, da empresária Hilua Russein Colombelli, dona da Luaggi Confecções. Pelo menos duas vezes por semana ela vai até o Angelina para auxiliar na organização de eventos e festas dos alunos. Ela e sua equipe de costureiras também confeccionaram 26 almofadas para que os pequenos alunos possam sentar no chão confortavelmente para ouvir as historinhas contadas pelos professores. Ela começou no Amigos da Escola no início deste ano e se sente gratificada com o que faz. “Trabalhar com as crianças é uma tarefa desestressante, que faz com que eu me desligue dos problemas na empresa”, revela ela.

Importante
A escola Angelina Salzano Vieira da Cunha também mantém convênios com o Senai/Cachoeira, que ministra cursos gratuitos aos alunos, e com a Ulbra/Cachoeira. Alguns acadêmicos envolvidos com projetos sociais vão até a escola palestrar para os estudantes sobre os mais variados temas. Os pais de alunos também participam do projeto de voluntariado ajudando com doações de material de construção e organizando mutirões quando a escola necessita de reformas.

Escolas dividem atividades
A atuação voluntária de Hilua Hussein Colombelli não se limita ao trabalho no Angelina. A empresária também dedica um tempo de sua agenda semanal para trabalhar com os alunos da pré-escola e da 1ª série do ensino fundamental na Unidade de Ensino São Pedro, mantida pela Ulbra em Cachoeira do Sul. Uma das mais recentes atividades foi o desenvolvimento da hora do conto para este público. Hilua participa contando historinhas, que são complementadas com a distribuição de fantoches de varas com os personagens das histórias para os alunos colorirem.

A mãezona do coral da Alarico Ribeiro
Maria de Lurdes Matos Nunes está realizando parte de um sonho de infância. Ela queria ser professora, mas como as condições financeiras não permitiram continuar os estudos e formar-se, ela optou pelo voluntariado para estar próxima das crianças. Ela cuida do visual dos integrantes do coral da Escola Municipal Alarico Ribeiro. A cada apresentação do grupo de cantores, lá está ela ajudando eles a vestirem-se e caprichando na aparência dos alunos. Além disso, é Maria quem lava os uniformes do coral, serviço feito em casa.
De três a quatro vezes por semana ela vai até o colégio para atuar como monitora dos estudantes na hora do recreio. De alguma forma, Maria sempre ajuda e já se tornou a “mãezona” dos alunos. Segundo a voluntária, a dedicação serve para compensar a educação que seus filhos receberam no Alarico. “Os quatro estudaram na escola. Dois deles ainda estão cursando e a gente sabe que o colégio está precisando, então ajudamos como podemos”, conclui Maria, que mora no Parque Xangrilá, no Bairro Mauá.

Escola de voluntários
A Escola Municipal de ensino Fundamental Alarico Ribeiro é a campeã em número de voluntários em Cachoeira do Sul. 27 pessoas e empresas ajudam a desenvolver o projeto Amigos da Escola, colaborando de todas as formas, avalia a diretora Marta Gall Gófas. Trabalhando na supervisão dos alunos ou com ajuda em materiais e dinheiro para equipar o colégio, estes voluntários são sempre bem-vindos, diz ela.
O Kaufmann Centro Comercial concede bolsas de danças para o Grupo Arte & Dança, que ensaia no local desde o ano passado. A equipe de danças também recebe os uniformes da indústria de confecções Coyotte e transporte gratuito da Transportes Nossa Senhora das Graças (TNSG). Marta reconhece que sem a ajuda dos amigos o Alarico não teria estrutura para oferecer atividades extracurriculares permanentemente.
A Alarico Ribeiro espera que o voluntariado também ajude a realizar um grande sonho dos alunos. Alguns estudantes montaram um grupo de danças gaúchas, que já está em condições técnicas de se apresentar em espetáculos na cidade, afirma a diretora Marta Gall Gófas. O problema é que eles não têm dinheiro para confeccionar as pilchas para todos os integrantes, que são filhos de famílias carentes.
As roupas estão orçadas em R$ 500,00, mas parte deste valor já foi doada pelo Banco do Brasil (R$ 100,00) e pelo advogado Edyr Lima (R$ 50,00). Marta Gófas destaca que o dinheiro das doações foi aplicado na compra do material e confecção dos vestidos das prendas, mas os meninos dependem de doações para ter sua pilcha completa. O grupo de danças gaúchas da Alarico Ribeiro é formado por 12 estudantes, que se oferecem para animar festas e eventos em Cachoeira.

CARTILHA
O sucesso da ação voluntária
A ação voluntária traz benefícios para a escola, os professores, os alunos, os voluntários e a comunidade
O voluntariado atende às necessidades da escola, com criatividade e desejo de participar
A ação voluntária é forte aliada do planejamento escolar
O trabalho requer ambiente agradável, com acolhimento, receptividade e respeito às diferenças
A ação exige coordenação, organização e supervisão
Os trabalhos merecem reconhecimento e divulgação
As atividades oferecem motivação e oportunidade de crescimento pessoal
A ação voluntária é gratificante e construtiva para quem a recebe e para quem a pratica
O voluntariado significa participação na sociedade e exercício da cidadania

Volta »


Câmara: Balardin pede distância de projetos de Sartório

O vereador Délcio Balardin (PPB) quer ficar longe dos projetos de Oscar Sartório (PTB). Nesta sexta-feira Balardin solicitou ao presidente da comissão de justiça, Luciano Figueiró (PMDB), para não mais relatar os projetos do colega, já que está como uma ação na Justiça contra o petebista. O pedido de Balardin será estudado pelo assessor jurídico da Câmara, Armando Fialho Fagundes, a pedido de Figueiró, para ser confirmado.
Balardin ingressou na Justiça contra Sartório em razão de pronunciamentos do colega na Rádio Fandango AM. Balardin conta que foi ofendido e teve sua imagem abalada publicamente. A briga começou depois de um parecer contrário que Balardin fez ao projeto de renda mínima, semelhante ao do Governo do Estado, apresentado por Sartório. Balardin alega que não existem recursos previstos para sustentar a proposta. O projeto do Governo do Estado não depende de lei municipal para ser aplicado em Cachoeira do Sul.
Oscar Sartório jura que sua sugestão é legal e constitucional. Em plenário, a proposta foi rejeitada. O fato irritou Sartório, que usou seu programa de rádio para falar que a Câmara será culpada se o projeto não destinar recursos para os carentes de Cachoeira do Sul. Os vereadores estão querendo usar o mesmo programa de Sartório para falar sobre o assunto, como um direito de resposta, que Balardin está pedindo judicialmente.

Importante
Segundo Oscar Sartório, será uma traição dos proprietários da rádio a concessão do direito de resposta aos vereadores antes de uma manifestação judicial. Sartório jura que não citou o nome de seus colegas durante o programa. As fitas que deveriam ser gravada pela emissora não existem em razão de uma pane nos aparelhos. A Justiça esta estudando o caso.

NA COMISSÃO
Os projetos da semana
1. Obriga a Prefeitura a oferecer ensino fundamental e médio aos portadores de necessidades especiais. O projeto é do vereador Natalício Moraes (PDT) e tem parecer favorável à aprovação na comissão de justiça.
2. Estabelece em 11 o número de integrantes no Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes. Também inclui um representante da Polícia Civil no conselho. O projeto é de Délcio Balardin e tem parecer favorável à aprovação
3. Determina que seja fixado nos pontos de saúde da cidade a lista dos médicos que prestam atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A proposta é de Natalício Moraes e tem parecer favorável à aprovação
4. Cria normas de segurança para as casas lotéricas da cidade. O projeto é de Oscar Sartório e recebeu parecer contrário à aprovação. Sartório não recorreu da decisão da comissão, que alega já existir regras de segurança para estes estabelecimentos em legislação federal.
5. Proíbe o transporte de servidores municipais nas carrocerias dos caminhões. A comissão de justiça apresentou parecere contrário à aprovação desta matéria, que é de autoria do vereador Luís Fernando Godoi.

Volta »


Emancipações: Relatório de Pipa diz que Três Vendas é deficitária

O distrito de Três Vendas terá muita dificuldades de se administrar e se desenvolver caso tenha sucesso o seu plano emancipacionista. Esta foi a conclusão do prefeito Pipa Germanos ao apresentar ao Jornal do Povo nesta sexta-feira um relatório que mostra que o Município investiu quase o dobro do que arrecadou no distrito no retorno direto de impostos e em projetos e programas dos governos federal e estadual no ano passado. O cálculo de Pipa diz que Três Vendas gerou R$ 604.265,08 em dinheiro para os cofres públicos, mas teve investidos R$ 891.895,59, o que perfaz uma diferença de R$ 287.630,51.
De acordo com Pipa, a Prefeitura utilizou apenas as áreas da educação, saúde e trabalho e ação social para a conta dos investimentos. “Se levássemos em conta o apoio ao setor primário e os gastos com iluminação pública e recuperação de estradas a soma passaria facilmente de R$ 1 milhão”, acredita ele. A maior receita gerada por Três Vendas no ano passado veio da União através do Fundo de Participação dos Municípios. As declarações de Imposto de Renda e o retorno de outros tributos federais pagos pelo distrito gerou R$ 188.079,00 para a Prefeitura. Logo depois, por incrível que pareça, ficou o ICMS gerado pelas lavouras e pela pecuária de Três Vendas, que ficou na casa dos R$ 151,8 mil.
PATRONATO - Ao mesmo tempo, a Prefeitura calcula ter gasto R$ 324 mil só em educação e outros R$ 242 mil com atendimento à saúde da população do distrito, que inclui até a inauguração de uma nova unidade sanitária. Na conta dos gastos com Três Vendas, o que mais pesa no bolso do Município é o Patronato Agrícola Imaculada Conceição, com uma despesa de R$ 325 mil no ano passado, uma média de R$ 27 mil ao mês. Pipa, que já reconheceu que não poderá mais frear o plebiscito de emancipação, alerta a comunidade do distrito que toda a despesa com a instituição deverá será repassada ao novo município, inclusive os servidores, que não poderiam mais ser mantidos pela Prefeitura cachoeirense. “Se cair minha receita sou obrigado a demitir”, avisou.

Importante
O prefeito está preparando relatório similar ao de Três Vendas sobre os distritos de Capané e Cordilheira, que também querem se emancipar e formar o município de Piquiri, o centro urbano mais desenvolvido das localidades.

Para saber mais
O relatório Três Vendas
1. As receitas geradas pelo distrito em 2000
ICMS
Foram R$ 151.800,00. O distrito representou 7,26% do total de dinheiro que retornou à Prefeitura pelo modelo A do tributo, que corresponde ao setor primário e onde estão incluídos todos os indicadores sociais. O modelo A representa apenas 25% do total de recursos que retorna de ICMS para a cidade. O restante representa os demais setores da economia
Fundo de Participação dos Municípios
Foram R$ 188.079,00 gerados por declarações de Imposto de Renda e pagamentos de impostos federais dentro do distrito
IPVA
R$ 37.431,00, cálculo feito pela Prefeitura a partir da população do distrito, calculada em 2,7 mil habitantes
Imposto de Transmissão Rural
R$ 3.006,00
Saúde
R$ 47.952,00, sendo R$ 32.408,00 do Programa de Atendimento Ambulatorial Básico do Governo Federal (que destina R$ 1,00/mês por habitante brasileiro), R$ 2,7 mil da União para a compra de medicamentos (R$ 1,00/ano por habitante), R$ 1.350,00 do Estado para a compra de medicamentos (R$ 0,50/ano por habitante), R$ 7.174,00 do programa Municipalização Solidária e R$ 4.320,00 do Programa Agentes de Saúde (Pacs)
Educação
R$ 152.653,24, sendo R$ 129.960,00 para a manutenção dos 180 alunos da rede municipal (cada um tem um custo de R$ 722,00/ano), R$ 4.680,00 para a merenda escolar dos alunos da rede municipal (R$ 0,13 dia por 200 dias letivos), R$ 5.720,00 para a merenda escolar dos alunos da rede estadual no distrito e R$ 12.293,24 do programa Salário Educação, da União
Trabalho e Ação Social
R$ 23.343,84, dinheiro quem vem de Estado e União para os internos do Patronato
2. As despesas
Educação
R$ 324.664,86, sendo R$ 100 mil com assistência aos alunos da rede municipal e estadual (material escolar, laboratório óptico, merenda, etc), R$ 51.673,57 de transporte escolar, R$ 43.354,51 em obras e R$ 129.636,78 com folha de pagamento de professores e funcionários
Saúde
R$ 242.193,21, sendo R$ 20.666,16 de gastos com a unidade sanitária, R$ 20.160,00 em materiais para a unidade, R$ 26.843,05 na construção da obra, R$ 3.344,00 com combustível e manutenção da viatura da equipe médica, R$ 160.380,00 com gastos no HCB e R$ 10.800,00 com remédios
Stas
R$ 325.037,52 com o Patronato Imaculada Conceição

AS OBRAS EM TRÊS VENDAS
O que Pipa investiu no seu governo
Asfalto até a vila principal
US nova
Construção de duas escolas e reforma de outra
Ampliação da rede de eletrificação
Ampliação da rede de abastecimento de água
100 produtores beneficiados pela patrulha agrícola
36 mil mudas para a fruticultura

Uma pergunta
Por que a Prefeitura fez as contas de Três Vendas?
O relatório foi uma promessa do prefeito à cidade quando surgiu o movimento emancipacionista do distrito e cumpre, segundo ele, o papel de esclarecer a comunidade de Três Vendas da sua realidade e a sociedade cachoeirense do tamanho do problema. “Não vou interferir na decisão deles. Se querem se separar, vou respeitar essa vontade”, frisou Pipa. Os dados revelados pelo relatório serão apresentados à comunidade de Três Vendas em data ainda a ser definida pelo prefeito, que espera a confirmação do plebiscito.

PARA CONHECER MELHOR
A futura cidade de Três Vendas

Na altura de quatro quilômetros, há uma US do SUS funcionando precariamente na vila central. Fica do lado da subprefeitura. Nesta parte da vila há uma associação pró-saneamento. São mais de 100 moradores que recebem água potável encanada, pagando uma taxa mensal de R$ 6,00. A água vem de poço artesiano e pode ser consumida à vontade.
A localidade possui três escolas em funcionamento: o Patronato Agrícola, que fica há cinco quilômetros do acesso, seguindo pela VRS 811. O Patronato é um embrião de escola técnica de ensino médio na área rural ou até da futura faculdade de Agronomia. Quase ao lado está a Escola Estadual Nossa Senhora da Conceição, de ensino fundamental completo, com internato para filhos de produtores da região. Esta escola encaminhou pedido de ensino médio.
Na subprefeitura a Associação de Moradores instalou uma central telefônica com 100 ramais, bem mais que Novo Cabrais, onde a central tem só 40 ramais.
O espaço urbano tem armazéns, bares, açougue e um matadouro em fase de implantação. Existem outras empresas, com destaque para a perfuradora de poços artesianos de Almiro Baumhardt.
Três Vendas também possui uma capela velatória, mantida pela associação. O abastecimento é realizado pela AES Sul e Celetro.
Três Vendas fica a 15 quilômetros de Cachoeira do Sul, em direção norte. Seu principal acesso está próximo ao Posto do Édson. O acesso é a VRS 811, já asfaltada. Um quilômetro após tomar o acesso inicia a zona urbana do futuro município. A distância entre Cachoeira e Três Vendas pode ser vencida com uma viagem de 10 minutos de carro ou uma hora de ônibus. Há horário de ônibus de duas em duas horas para Cachoeira.

Volta »


Motim nas Obras: Pipa mantém Mainardi, mas pede mais cuidado

A atuação do prefeito Pipa Germanos nos bastidores quinta e sexta-feira foi suficiente para que o motim de parte dos funcionários da Secretaria Municipal de Obras contra o secretário Alceu Mainardi fosse solucionado poucas horas depois de circular a edição do Jornal do Povo que abriu ao noticiário da cidade a crise na pasta. Os descontentes foram neutralizados pelo prefeito, o Sindicato dos Municipários aconselhado a recuar (aceitou o conselho) e Mainardi segue no cargo mais forte do que nunca.
A estratégia utilizada pelo prefeito foi de pedir mais cuidado a Mainardi. Em pleno feriado de quinta-feira, os dois despacharam na Prefeitura e Pipa recomendou ao secretário que cuide a forma de falar e tratar alguns servidores e pense melhor antes de tomar certas decisões. Outras sugestões também foram passadas pelo prefeito ao secretário, que reconheceu pecar em alguns casos “por ser demasiadamente técnico”.
Um dia antes de falar com Mainardi, na quarta-feira, Pipa já havia procurado o presidente do Simcasul, João Jorge da Silva, para dar um puxão de orelha no sindicalista por ter procurado o Jornal do Povo para detonar o início de crise nas Obras e mandar o recado de que o tratamento do secretário iria mudar. Nesta sexta-feira, a tranqüilidade voltou a circular nos corredores da secretaria, embora o procedimento do secretário tenha continuado o mesmo de sempre.
Mainardi, que ocupa cargo destinado ao PMDB dentro do Governo Pipa II, vistoriou todas as obras em que a pasta está envolvida, continuou dando sugestões à forma de trabalho dos servidores e conferiu de cima o controle dos pontos. Para confirmar que a paz voltou a reinar, marcou um almoço de confraternização com os funcionários da oficina.

Importante
Nos bastidores a informação é de que o prefeito Pipa Germanos terá novo encontro nos próximos dias com o Simcasul para discutir as reclamações de alguns funcionários - pelo menos os principais casos - e tentar contorná-las. Pipa, nesta sexta-feira, não confirmou a informação e disse que todo o problema da Secretaria de Obras será tratado internamente.

ATENÇÃO
Logo que o Jornal do Povo de quinta-feira começou a circular, o secretário Alceu Mainardi diz ter recebido dezenas de ligações de solidariedade de amigos, vereadores e ex-prefeitos de municípios vizinhos. “Todos me pediram que não baixe a cabeça por causa de uma meia dúzia de insatisfeitos”, disse ele. O casal Décio e Lígia Schroeter, moradores do Bairro Soares, e a corretora de seguros Rosane Santiago estão liderando um abaixo-assinado de apoio a Alceu Mainardi no centro da cidade. As folhas começaram a circular nesta sexta.

Volta »


Administração municipal: Pipa, Corsan e Cesa ainda não acertaram as contas

O Governo Pipa Germanos, a Corsan e a Companhia Estadual de Silos e Armazéns ainda não entraram em um acordo para fazer o acerto de contas. A briga está na Justiça e os valores cobrados e assumidos não são consenso. O prefeito Pipa Germanos afirma que a Prefeitura tem a receber da Cesa aproximadamente R$ 400 mil em Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza. A dívida com a Corsan, segundo Pipa, é de no máximo R$ 250 mil, referente a contas de água nos prédios do Município.
O gerente da Corsan, Neri Scortegagna, garante que a Prefeitura deve cerca de R$ 300 mil em conta de água e o gerente da Cesa, Gilson Dalanora, acredita que a companhia deve para a Prefeitura aproximadamente R$ 300 mil. O último passo da Prefeitura, segundo o procurador jurídico Washington Rohde, foi garantir na justiça o direito de fazer o encontro de contas. A decisão evita que o Município seja incluído no Cadastro de Inadimplência (Cadin). Quando acionada no Cadin, por dever ao Estado, o Governo fica desobrigado de repassar para o Município qualquer tipo de recurso.

Importante
Segundo o gerente da Corsan, Neri Scortegagna, a Prefeitura não tem nada a receber da sua companhia. “Estamos sem contas com o Município. Na última negociação acertamos as contas de IPTU que devíamos eliminando alguns débitos da Prefeitura, em um valor de aproximadamente R$ 12 mil”, conta Scortegagna. O prefeito Pipa garante que a Corsan ainda deve para o Município. Os valores são referentes aos consertos das ruas asfaltadas que foram danificadas para reparos na rede de água.

Volta »


Linha direta: Cães vadios perturbam a comunidade

A ginecologista Rosele Salzano acionou a Linha Direta do JP para denunciar a proliferação de cães vadios na cidade. Ela relatou que na sexta-feira levou suas filhas até a Praça José Bonifácio para brincarem no playground mas acabou desistindo, tamanha era a quantidade de cães e a sujeira que estes estavam fazendo. “A areia da pracinha estava tomada de fezes dos animais. As cadelas estão no período de cio o que aumenta ainda mais a quantidade de cães, e o pior, eles ficam extremamente raivosos em função da disputa que se trava entre eles”, disse Rosele.
A médica ressaltou ainda o aspecto das doenças que podem ser transmitidas através das fezes dos animais. A concentração das bactérias na areia transmite uma série de doenças de pele, como bicho-de-pé e sarna. A sujeira da cidade foi outro problema que a médica fez questão de relatar. Rosele se diz envergonhada de andar pela ruas centrais e observar a falta de cuidado da comunidade em armazenar corretamente o lixo. A médica disse ter observado também o trabalho dos funcionários da limpeza pública, que ela caracterizou como relapso. O lixo mal-acondicionado facilitar a alimentação de cães vadios e sua proliferação no centro da cidade.
Da mesma forma manifestou-se a autônoma Mara Beck, moradora da Rua Milan Krás, que também está revoltada com o grande número de cães que estão tomando conta das ruas da cidade. Ela também queixou-se da sujeira da Praça Bonifácio. “Impossível levar crianças para brincar naquela sujeira. Para piorar além dos cachorros o mau cheiro vindo dos banheiros é insuportável. Isto já é caso de saúde pública”, reclamou Mara.

LEITOR RECLAMA
A contabilista Sônia Aneter, moradora da Rua Andrade Neves, no Centro, ligou para a Linha Direta para reclamar da falta de respeito com os clientes dispensada pelo Banrisul, agência do centro da cidade. Segundo ela, a espera nas filas dura mais de uma hora e meia. “Em Porto Alegre é lei: cliente não pode ficar por mais de 40 minutos na fila do atendimento, senão o banco é multado”. A situação na agência Centro ficou mais caótica depois que a agência da 7 de Setembro foi fechada, acumulando os clientes.
As pessoas ficam amontoadas nos caixas eletrônicos que existem no interior da agência, segundo Sônia, já que os envelopes de depósitos ou pagamentos têm horário de depósito fixado até as 14h. Os guardas não atendem aos pedidos dos clientes e a gerência não recebe correntistas quando a questão é reclamações. A contabilista acha um absurdo que com vários caixas apenas alguns deles funcionem no horário de pico.

Lixão perturba a quem mora na Roberto Silva
Um lixão existente na Rua Roberto Silva, proximidades do clube Caiçara, está causando transtornos aos moradores próximos. É o caso da doméstica Edith Rodrigues da Silveira, que entrou em contato com a redação do Jornal do Povo para reclamar da ação das pessoas que depositam lixo no local. Segundo ela, na última quarta-feira tornou-se impossível ficar em sua casa porque alguém jogou um animal morto no depósito clandestino de lixo. “Pedi para a Secretaria de Obras tomar uma providência, colocar terra em cima ou remover o animal, mas isso não aconteceu”, reclamou. Segundo a moradora, esta não é a primeira vez que jogam cães ou gatos mortos naquele local. “Ao invés de enterrarem os animais, as pessoas ficam jogando eles perto da casa dos outros”, queixou-se.

CIDADÃO OPINA
O militar reformado Lorivo Gomes Pereira, morador de Três Vendas, acionou o 3722-5588 para opinar a respeito da utilização da madeira dos pinhos cultivados no Patronato Agrícola. O militar ressalta a iniciativa de um dos diretores da instituição, Hermínio Silva, que iniciou o cultivo das árvores no local. “Acho louvável o plantio e o aproveitamento das madeiras pela administração atual. Sugiro que uma campanha de reflorestamento do local seja iniciada, se é que já não o fazem, para que mais pessoas possam ser beneficiadas”, sugere.

Volta »


Trânsito: Atropelamento na BR 290

O agricultor Santo Madeira, 60 anos, foi atropelado na noite de sexta-feira no quilômetro 292 da BR 290, na localidade de Irapuá, em Cachoeira do Sul. Conforme dados preliminares da Polícia Rodoviária Federal de Pântano Grande, o automóvel Ford Verona verde, placas IBX 1378, com placas de Caxias do Sul, que trafegava no sentido capital/interior, colheu em cheio o agricultor, que reside nas proximidades do local do acidente. A vítima foi conduzida para o Hospital de Caridade e Beneficência (HCB) pela ambulância da Univias apenas com escoriações leves.

Volta »


Assistência médica: Crise no IPE afeta serviços em Cachoeira

A grave crise financeira do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPE) está começando a afetar os serviços de assistência médica e hospitalar em Cachoeira do Sul. A informação ainda é repassada extra-oficialmente pelas clínicas e laboratórios vinculados ao instituto, mas a reportagem do Jornal do Povo conseguiu apurar que alguns destes prestadores de serviços não recebem os valores referentes aos atendimentos realizados desde novembro do ano passado.
São oito meses de atraso em alguns serviços, o que já está provocando um atendimento diferenciado aos usuários do IPE e empurrando o agendamento de alguns exames até para setembro. Uma segurada do IPE conseguiu agendar uma mamografia no serviço de radiologia instalado no HCB para meados de setembro. Em alguns laboratórios o prazo para a retirada dos resultados dos exames está se alongando cada vez mais, quando normalmente o prazo era de 24 horas, segundo a mesma segurada.
O presidente da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Cachoeira do Sul (Someci), Álvaro Noronha, afirmou que tem conhecimento dos fatos apenas em conversas com seus colegas. Ele garantiu, no entanto, que nos próximos dias o tema será discutido em uma reunião da Someci. Segundo Noronha, a entidade ainda está buscando dados mais conclusivos e tomando pé da situação.

O OUTRO LADO
O que diz o IPE

O Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPE) está acumulando uma dívida de R$ 65 milhões na área de saúde, o que o obriga a repassar pagamentos parciais das faturas nos dias 15 e 30 de cada mês. O presidente do instituto, Luiz Henrique Motta, afirma que os pagamentos dos profissionais médicos estão em dia. O atraso, segundo ele, só se refere a serviços hospitalares. Ele não prevê prazo para zerar o déficit.
O diretor-médico do IPE, Jairo Othero, explicou que até o momento nenhum prestador de serviços conveniado de Cachoeira do Sul manifestou interesse de romper o contrato. “Há muitas consultas sobre a situação e estamos fazendo o possível para atender a todos”, frisou. Othero explicou que a arrecadação mensal do instituto fica em torno de R$ 50 milhões e que, historicamente, eram gastos R$ 16 milhões ao mês com o pagamento de pensionistas e outros R$ 34 milhões com assistência de saúde. “Hoje, com as pensionistas garantindo integralidade das pensões, o instituto vive uma situação inversa. Faltam cerca de R$ 16 milhões para atender a demanda de recursos na área de saúde do IPE”, explicou.
Cerca de 20 mil pensionistas, das 53 mil que o instituto tem, já garantiram na Justiça o direito à pensão integral. Além disso, o IPE afirma que a assistência médica e hospitalar tem uma inflação específica referente a equipamentos e medicamentos importados. Os custos aumentam até 5% a mais do que qualquer inflação oficial, divulga.
Segundo Jairo Othero, o Governo do Estado está suprindo o déficit mensal com recursos do caixa geral, mas nos últimos dois meses um problema burocrático impediu os repasses, atrasando ainda mais o pagamento dos prestadores de serviço. “Mas é um problema que está sendo solucionado até o final do mês”, garantiu. Ele também lembrou que cada vez o IPE tem mais pensionistas e os seus segurados também estão alcançando uma faixa etária de maior idade.

Importante
Por enquanto o HCB, os laboratórios e as clínicas estão mantendo os serviços de atendimento aos 26 mil segurados do IPE em Cachoeira do Sul. Em alguns laboratórios e clínicas o volume de serviços está sendo paulatinamente reduzido à espera do pagamento dos atrasados ou redução do déficit. O HCB ainda não tomou tal atitude, mas vai discutir esta possibilidade no próximo mês, se uma solução não for apresentada. O Hospital São Camilo, de Esteio, se descredenciou do IPE e está atendendo os segurados do instituto pelo SUS. O serviço de radiologia de Caçapava do Sul também deixou de atender pelo IPE.

IPE leva 110 dias para pagar HCB
Nesta quinta-feira, o administrador do Hospital de Caridade e Beneficência de Cachoeira do Sul, Luciano Morschel, informou que a situação de atraso no pagamento dos serviços prestados ao IPE está chegando a um ponto insuportável. O instituto está com o equivalente a três meses e meio de serviços prestados em atraso e este déficit é crescente. “O IPE representa 20% de nosso faturamento, o que está criando uma situação muito delicada, pois há o desembolso do HCB com medicamentos, profissionais e outros custos fixos sem a contrapartida no mesmo ritmo”, explicou. Segundo ele, os medicamentos utilizados, por exemplo, têm um prazo máximo de 30 dias para serem pagos pelo HCB. O IPE está levando mais de 110 dias para pagar.
SUPORTE - De acordo com o administrador do hospital cachoeirense, até o próximo mês deverá sair um posicionamento formal da Federação dos Hospitais Filantrópicos e Santas Casas do estado sobre o tema. No próximo dia 27 a entidade fará um movimento público, em Porto Alegre, para reivindicar soluções. “Sabemos da crise do IPE e estamos tentando suportar ao máximo na esperança de que uma solução, mas nenhum hospital gaúcho tem suporte financeiro para bancar este déficit e manter um bom atendimento”, explicou.

Volta »


SUS: Cachoeira mais perto do aumento de teto

Cachoeira do Sul está mais perto de conseguir um aumento do teto financeiro do Sistema Único de Saúde (SUS) para o Fundo Municipal de Saúde. O Estado recebeu um aumento de teto de R$ 19.038.436,00, definidos pela Portaria 632, de 26 de abril de 2001, do Ministério da Saúde, para expandir a oferta de serviços de média e alta complexidade. O Governo Estadual apresentou um plano de aplicação provisório, obrigatório para o envio do dinheiro, prevendo a utilização de duas parcelas mensais de R$ 1.586.536,00, para ampliação da oferta por 60 dias.
A proposta aprovada pela comissão intergestores bipartite prevê o repasse do total de 424.000,00 mensais divididos entre os municípios com gestão plena de Caxias do Sul e Santa Cruz do Sul, únicos que comprovaram déficit mensal em relação aos valores previstos na tabela SUS. A Secretaria Municipal de Saúde de Cachoeira do Sul (SMSMA), apesar de apresentar um rombo efetivo anual de quase R$ 500 mil, com o pagamento diferenciado aos prestadores, aparenta ter dinheiro sobrando se forem considerados os valores de tabela para cada procedimento.
O dinheiro restante do aumento de teto estadual será dividido entre as coordenadorias regionais de Saúde. Para a 8ª Coordenadoria Regional de Saúde, serão destinados R$ 53.280,00 por mês, nos 60 dias de aplicação provisória do aumento de teto estadual. Os municípios deverão ser chamados pela 8ª CRS para ajudarem a decidir onde será aplicado o dinheiro, que só poderá ser usado para ampliar serviços com capacidade para atender a clientela de toda a região. A titular da SMSMA, Magnólia Erhardt, informou que Cachoeira vai pleitear a ampliação dos atendimentos de traumatologia, ortopedia, mamografia, radiologia, patologia clínica e fisioterapia.

Importante
A titular da SMSMA, Magnólia Erhardt, participa da bipartite como representante da Assedisa, a divisão de Saúde da Federação dos Municípios do RS (Famurs), onde é representa os municípios com mais de 50 mil habitantes.

UMA PERGUNTA
O aumento de teto é certo para Cachoeira?
Não. Conforme a titular da SMSMA e integrante da bipartite, Magnólia Erhardt, mesmo que Cachoeira do Sul seja contemplada com uma parte dos R$ 53 mil que serão aplicados provisoriamente pela 8ª CRS na ampliação de serviços regionais (60 dias), o aumento de teto dependerá de uma nova discussão estadual que será aberta após o prazo provisório (se o mesmo não for prorrogado). Dentro de 60 dias, os municípios deverão elaborar seus planos diretores de regionalização (PDRs), através dos quais mostrarão sua capacidade de atendimento às necessidades regionais. Conforme Magnólia, os PDRs vão nortear as discussões sobre o repasse do aumento de teto para os municípios.

Volta »


Derrame de dinheiro falso: Surge nota fria de R$ 50 no comércio

Uma cédula de R$ 50,00 com as mesmas características de uma nota fria de R$ 10,00 foi entregue sexta-feira no Centro de Operações por um comerciante do Bairro Fátima, cujo nome não foi revelado pela Polícia. O surgimento de uma nota falsificada deste valor confirma a tese da Polícia Federal, que investiga os casos. Os agentes suspeitam que Cachoeira do Sul foi vítima de um derrame há mais de dois meses e as falsas cédulas dos mais variados valores começam a ser identificadas somente agora porque a população não está habituada a checar as características de segurança do real.
O comerciante recebeu a cédula de R$ 50,00 no último dia 2 como pagamento de uma compra no valor de R$ 15,00 efetuada por um jovem. Como não tinha em caixa os R$ 35,00 do troco, foi até uma vizinha, que na semana passada tentou depositar os R$ 50,00 no banco e recebeu a informação que tratava-se de uma cédula fria. Com o golpe, o comerciante acumulou um prejuízo de R$ 100,00, pois além dos R$ 15,00 do produto e dos R$ 35,00 do troco, teve que pagar R$ 50,00 para a vizinha.

Para saber mais
A cédula verdadeira
MARCA D’ÁGUA - Segure a cédula contra a luz, olhando para o lado que contém a numeração. Observe na área clara à esquerda as figuras que representam a República e a bandeira nacional, em tons que variam do claro ao escuro.
MARCA TÁTIL - São marcas impressas em relevo para auxiliar as pessoas com dificuldade de visão a identificar a cédula.
IMAGEM LATENTE - Observando o lado da cédula que contém a numeração, olhe a partir do canto inferior esquerdo, colocando-a na altura dos olhos, sob a luz natural abundante ficarão visíveis as letras B e C.
FIO DE SEGURANÇA - Fio vertical, de cor escura, embutido no papel, que pode ser visto ao observar-se a cédula contra a luz. Não está presente nas cédulas de R$ 1,00 e R$ 5,00.
NUMERAÇÃO - São as letras e os números que identificam a cédula. Não podem existir duas cédulas com a mesma numeração.
REGISTRO COINCIDENTE - Olhando a nota contra a luz, o desenho das armas nacionais impresso em um lado deve ajustar-se exatamente ao desenho igual que se encontra no outro lado.
MICROIMPRESSÕES - Letras B e C impressas em tamanho minúsculo, visíveis com uma lente.
FIBRAS COLORIDAS - Pequenos fios espalhados no papel podem ser vistos em ambos os lados, ao longo de toda a cédula.

Volta »


Roubo de carros: Camioneta furtada é recuperada na 287

Os patrulheiros da Polícia Rodoviária Estadual de Novo Cabrais recuperaram no início da madrugada de quinta-feira na RST 287, na localidade de Cerrito, a camioneta GM D-10 branca, placas IEN 2250, de Cachoeira do Sul, furtada no município de Arroio do Tigre. Conforme a ocorrência registrada no Centro de Operações, os policiais prestavam socorro a um ônibus quando um veículo pequeno, seguido da camioneta, efetuou uma manobra arriscada na rodovia ao ver a sirene da viatura da Polícia Rodoviária. Durante a perseguição, os policiais constataram que tratava-se de um automóvel Kadett, cuja placa não foi identificada porque o veículo conseguiu fugir. A D-10, no entanto, foi abandonada atravessada na pista com os faróis e faroletes ligados. Pelo menos dois elementos não identificados conseguiram fugir em direção ao mato. Os patrulheiros viram que tratava-se de um automóvel roubado quando encontraram uma chave micha na ignição da picape. Depois de recolhido ao Depósito PC, em Cachoeira, o veículo furtado foi devolvido na tarde de sexta-feira.

Volta »


Palio é atropelado por carroça

O automóvel Palio, placas IFI 3449, foi atropelado por uma carroça no final da manhã de quarta-feira na Rua Bento Gonçalves, nas proximidades do Supermercado Cunha. O proprietário do carro, Romário Ribeiro Kiefer, fora viajar e deixou o veículo estacionado na frente do supermercado de seu amigo, empresário José Neri Moraes da Cunha, onde foi colhido pela carroça, que, desgovernada, provocou danos no capô, pára-brisa, teto e ainda na lateral esquerda. O carroceiro Reni José Gonçalves Barreto, residente no Bairro Noêmia, não soube informar o que pode ter causado o acidente. O cavalo nada sofreu e a carroça teve pequenos danos por causa do acidente.

Volta »


Bombeiros: Anjos da Guarda estão parados

Pela segunda vez em menos de 30 dias, a ambulância dos Anjos da Guarda, serviço prestado à comunidade pelo Corpo de Bombeiros, está parada com problemas na suspensão dianteira. O automóvel está fora de serviço desde o início da manhã de quarta-feira, quando o defeito foi constatado durante o atendimento de uma ocorrência. No mês passado o carro permaneceu durante duas semanas na oficina com os mesmos problemas. Porém, os pneus dianteiros foram substituídos. O comando dos bombeiros está preparando a documentação para entrar nesta segunda-feira com o processo de solicitação das peças e mão-de-obra no setor de compras da Prefeitura Municipal, responsável pela administração dos recursos do Fundo Municipal de Reequipamento do Corpo de Bombeiros (Funrebom). Os custos do conserto ainda não foram contabilizados. O objetivo do comandante, capitão Jorge Osmar Boézzio, é garantir uma nova viatura para os Anjos da Guarda através do Orçamento Participativo 2001.

Volta »


Zona norte: Rede telefônica é danificada no Marina

Nem mesmo cabos telefônicos instalados a uma altura de aproximadamente cinco metros do chão e a pleno funcionamento estão sendo poupados pelos ladrões que atuam na zona norte da cidade. A Polícia Civil recebeu duas denúncias sobre o caso, que vem danificando a rede telefônica na Avenida Brasil, nas proximidades do Tischler Macroatacado do Bairro Marina. No início da manhã de quarta-feira, o fiscal de rede da CRT Brasil Telecom Malmo Agne Rodrigues, 30 anos, constatou que três cabos, sendo um de 100 telefones, outro de 200 telefones e um terceiro com capacidade para 50 linhas, foram furtados da rede, instalada nos postes e a cinco metros de altura. A 2ª Delegacia de Polícia está cuidando do caso e já possui alguns suspeitos. De acordo com a chefe de investigações, Rejane Savegnago, os furtos registrados na rede do Marina foram praticados pelos mesmos autores de vários outros delitos contra empresas de comunicações e também redes telefônicas subterrâneas registrados nas últimas semanas.

Plantão
Churrasco de cão

O cachorro pitbull de um ano e quatro meses do pedreiro Gilson Luiz Alves dos Santos, 42 anos, residente no Bairro Noêmia, pode ter sido morto para servir de refeição a três mendigos do bairro. Santos esteve na 2ª Delegacia de Polícia nesta sexta-feira para registrar o furto do cão e também o provável fim que os suspeitos deram ao animal de estimação. Conforme a ocorrência, no final da tarde do último dia 7, quando chegou em casa, na esquina das ruas Gregório da Fonseca e São João, a vítima viu que o cachorro, mantido preso no pátio, havia desaparecido. Depois de localizá-lo no galinheiro de uma residência vizinha, o pedreiro teve o animal furtado novamente. Desta vez, no entanto, encontrou apenas a corrente do cão em meio a uma poça de sangue. Ele suspeita que os mendigos se alimentaram do animal porque na mesma noite, misteriosamente, os suspeitos fizeram um churrasco onde moram.

Volta »


Paraíso do Sul: Conselho Tutelar entra em colapso

Uma crise velada que atingiu seu auge no início deste mês ameaça a existência do Conselho Tutelar de Paraíso do Sul. Vários conselheiros já pediram demissão do órgão e os demais deverão seguir o mesmo caminho. De acordo com a presidenta do Conselho Tutelar de Paraíso do Sul, Marli Magnabosco, também demissionária, os motivos são o não-pagamento de uma ajuda de custo para os conselheiros e a falta de apoio ao órgão por parte da Prefeitura Municipal e pelo próprio Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica).
Os primeiros conselheiros tutelares de Paraíso do Sul foram eleitos e empossados no cargo em setembro do ano passado. No entanto, segundo Marli, somente depois de terem assumido suas funções é que foram informados que não receberiam qualquer tipo de ajuda financeira. “Desde então temos tentado argumentar com a antiga e agora com a atual administração municipal da necessidade de recebermos uma ajuda de custo para desempenhar nosso trabalho”, explicou. “Muitas vezes os conselheiros precisam conciliar os plantões com o seu trabalho diário. Além disso, é comum termos que utilizar nossos próprios veículos para atender casos no interior do município. Isto sem receber nenhum centavo”, acrescentou Marli.
DESESTRUTURADO - Por estes motivos e pela falta de estrutura, quatro dos cinco conselheiros titulares já pediram demissão de seus cargos e alguns de seus substitutos seguiram o mesmo caminho. Hoje, o órgão ainda atende, mesmo que provisoriamente os casos que envolvem os menores no município. Os mais graves são encaminhados à promotoria da Comarca de Agudo, a qual pertence Paraíso do Sul. “São mais freqüentes do que se imagina os casos de prostituição de menores ou maus tratos a jovens em Paraíso. O conselho, ao contrário do que alguns pensam, é necessário. Porém, desestruturado e sem credibilidade como se encontra, é impossível continuar”, finalizou.

PM diz que ajuda de custo só em 2002
O prefeito de Paraíso do Sul, Elmo Schmengler, informou que tem conhecimento do caso e da gravidade da situação. Além disso, explicou, não é intenção extinguir um órgão que está desempenhando um papel muito importante junto à comunidade. No entanto, observou Schmengler, não existem condições financeiras para que a Prefeitura passe a pagar mensalmente ajudas de custo aos conselheiros. “O orçamento para este ano não prevê esta despesa aos cofres públicos. Tanto entendemos que o pagamento foi incluído, inclusive, no plano plurianual do Município para o exercício 2002/2004”, observou Schmengler. Quanto à falta de apoio, o prefeito diz que foi disponibilizada uma sala para o atendimento dos conselheiros e, na medida do possível, um veículo para ser utilizado no atendimento às ocorrências no município.

Volta »


Novo Cabrais: Inverno mais ameno para os carentes

A comunidade de Novo Cabrais atendeu ao chamamento feito pela Secretaria Municipal do Trabalho e Ação Social (Stas) e praticamente lotou o Ginásio Poliesportivo Ruy Barbosa na última sexta-feira, quando foi realizada a noite cultural em benefício da Campanha do Agasalho 2001. A noite cultural foi animada por 25 apresentações de grupos e artistas locais e de Cerro Branco, Cachoeira do Sul e Candelária, que foram aplaudidos pelos cerca de 1.100 espectadores que prestigiaram o evento e, principalmente, foram levar as suas doações para a campanha.
Somente os donativos em dinheiro serão suficientes para a aquisição de, pelo menos, 130 cobertores, que, como os agasalhas arrecadados durante a campanha deste ano, serão distribuídos às famílias carentes do município. Conforme a titular da Stas, Sônia Lessing, os resultados deste ano superam os alcançados em campanhas anteriores. Sônia informou ainda que os funcionários estão finalizando a contabilização das doações e o resultado oficial da campanha deverá ser divulgados nos próximos dias, quando iniciará a distribuição dos donativos.

Volta »


Futebol-sete: Central está com uma mão na taça

O Central está a um passo de conquistar o título do Campeonato Municipal de Futebol-sete 2001 de Novo Cabrais. A vitória no último final de semana diante do São Cláudio por 4 a 2 deixou a equipe da sede do município a um empate do título. O Central aproveitou o fato de estar jogando em seu campo e diante da sua torcida para ter vantagem na decisão em dois jogos. O grande destaque da primeira partida das finais foi Luciano Couto, do Central, autor de três dos quatro gols da sua equipe.
A partida de volta será realizada no próximo dia 23 no campo do São Cláudio, no Cortado. Para chegar ao título, a equipe do São Cláudio precisará vencer o jogo no seu tempo normal por qualquer marcador e levar o confronto para a prorrogação com morte súbita. Caso não haja vencedor na prorrogação, a partida e o título serão decididos na cobrança de pênaltis.

Volta »


Paraíso do Sul: Processo de Vila Paraíso vai adiante

Tramita na Assembléia Legislativa do Estado, desde o último dia 31, o pedido de credenciamento para o processo de emancipação de Vila Paraíso. Os documentos iniciais com a relação dos moradores das localidades emancipacionistas e a ata da reunião de criação da comissão de emancipação estão sendo analisados pela procuradoria jurídica da Assembléia. No entanto, a previsão inicial para que fosse dado um parecer sobre a documentação protocolada, 30 de junho, não deverá ser cumprida. Isto devido à verdadeira enxurrada de processos de credenciamento que estão chegando à comissão de assuntos municipais do Legislativo Estadual, provenientes de todas as partes do estado.
Para o presidente da comissão emancipacionista de Vila Paraíso e localidades adjacentes, Breno Lüdtke, no entanto, o trabalho continua. Enquanto não é emitido um parecer, credenciando oficialmente o movimento, a comissão continua organizando dados para os passos seguintes em busca da sonhada emancipação. Ele explicou que a comunidade continua mobilizada e otimista com relação ao sucesso da iniciativa. “O movimento vem recebendo votos de apoio de todos os segmentos da comunidade paraisense e até de municípios vizinhos. Estamos trabalhando sério para que tudo corra conforme esperamos”, observou.

PARA SABER MAIS
As localidades emancipacionistas
Vila Paraíso
Linha Contenda
Linha Travessão
Linha Sinimbu
Linha Patrícia
Linha Patrimônio
Linha Paraguassu
Linha Marcondes
Linha Brasileira
Rodeio do Herval

Comissão continua trabalhando
Neste domingo e nesta segunda-feira, a comissão emancipacionista estará promovendo reuniões nas localidades de Linha Sinimbu e Linha Brasileira, respectivamente, para que seja explicado aos moradores os trâmites do processo e na busca de informações sobre os limites geográficos de cada localidade. Com bases nestes dados e nos que foram coletados nas demais áreas emancipacionistas, será elaborado pelo departamento de Geociência da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) um mapa do novo município, já denominado Alto Paraíso.
Nesta sexta-feira, Lüdtke entregou na Prefeitura Municipal de Paraíso do Sul um pedido de certidões com informações sobre o número de residências existentes na região que busca a emancipação, bem como a quantidade de pontos de iluminação e extensão da rede de água existentes e a quantos consumidores ela atende. Conforme o presidente da comissão emancipacionista, todos estes dados serão anexados ao processo, servindo como base para uma análise real da situação existente hoje em Vila Paraíso e nas localidades adjacentes.

Importante
As reuniões promovidas pela comissão emancipacionista de Alto Paraíso serão realizadas neste domingo, às 9h30min, na Escola Cristian Gaedtke, em Linha Sinimbu. Na segunda-feira, às 20h30min, a reunião com os moradores de Linha Brasileira será na Escola Gaspar Barreto.

Prefeito vai a Brasília em busca de recursos para vários projetos
O prefeito municipal de Paraíso do Sul, Elmo Schmengler, viaja nesta segunda-feira para Brasília levando na bagagem vários projetos a serem desenvolvidos no município. A visita à capital federal tem a finalidade de tentar conseguir recursos para tornar estes projetos realidade a curto prazo.
Os projetos, que serão protocolados junto aos ministérios, somam R$ 1.072.822,12 e pleiteiam a construção de um ginásio poliesportivo e moradias populares, eletrificação rural e aquisição de novos equipamentos para o Hospital Paraíso, entre outros. "Não sei se todos os projetos serão aprovados, mas se conseguirmos aprovação para alguns, já ficarei satisfeito", declarou .

Volta »


Partidos: JPPB reelege Balardin e lança uma ala mirim

A Juventude do PPB promove neste sábado, a partir das 13h, no plenário da Câmara Municipal, sua convenção para reeleger um novo diretório e executiva. O atual presidente, Leandro Balardin, filho do vereador Délcio Balardin, é o único candidato à presidência e será confirmado para mais dois anos à frente dos garotos do PPB. A convenção marca o lançamento de um projeto inédito, a criação do PPB Mirim.
Segundo Leandro Balardin, o PPB Mirim é um programa informal, vinculado à JPPB. O grupo será formado por crianças e adolescentes com idade inferior a 16 anos, faixa etária que os jovens ainda não têm título eleitoral, não podem votar e nem serem filiados a partidos políticos. “O PPB Mirim tem o objetivo de incentivar os jovens a se interessarem pela política. A nova ala terá encontros mensais, onde receberão ensinamentos de assuntos políticos que orientam para uma visão correta de política”, antecipa Leandro Balardin.

Importante
Durante o lançamento do PPB Mirim serão cadastradas as primeiras 11 crianças, que farão uma apresentação individual na tribuna da Câmara e depois, em forma de jogral, irão ler um discurso. O prefeito Pipa Germanos e o vice Claudinho Schlottfeldt são esperados para o encontro. O deputado estadual Frederico Antunes confirmou presença. Antunes é membro da ala jovem do PPB em Uruguaiana e preside a comissão de agricultura da Assembléia Legislativa.

Para saber mais
Diretório da garotada do PPB

1. Adilson Maciel
2. Alexandra Penha
3. Alexandre Ellwanger
4. Alexandre Marin
5. Ana Denize dos Santos
6. André Lemos
7. Benhur Roos
8. Cristian Garcia
9. Daniel Castro
10. Deise Rocha
11. Eduardo Anneter
12. Elisangela Loreto
13. Evandro Hamman
14. Fernanda Viegas
15. Fernando Rodrigues
16. Francele Dutra
17. Giovana Xavier
18. Itatiane Moraes
19. Jader dos Santos
20. Joacir Kasper
21. Juliano da Rosa
22. Júlio Lopes
23. Leandro Balardin
24. Luciano Lara
25. Luciano de Sena
26. Magnus Hamann
27. Márcio Cardoso
28. Marcos Radiske
29. Marli dos Santos
30. Carina Brendler
31. Marta da Rosa
32. Mateus Santos
33. Maurício de Oliveira
34. Moacir Schuh
35. Marli de Lima
36. Neila Castro
37. Nilsa Roos
38. Olga Patrícia
39. Patrícia Lopes
40. Paulo Beck
41. Pierre Beck
42. Robson Lopes
43. Roger Corrêa
44. Tiago Tombini
45. Vanessa Pereira
Fonte: Leandro Balardin

ATENÇÃO
A executiva da JPPB será eleita após confirmados os 45 titulares e 15 suplentes do diretório. O atual vice-presidente da ala, vereador Luciano Lara, não pretende permanecer como vice e nem se eleger presidente. “Sou favorável a renovação dos nomes, que possibilita o surgimento de novas lideranças”, resume Lara.

Volta »


Gente: A santeira da cidade

O gosto pela arte e a admiração por esculturas e pinturas sacras fez com que a dona de casa Nilza Araújo Dihl dedicasse 33 anos de sua vida à elaboração e confecção de imagens e pinturas de santos. Nilza possui trabalhos expostos em quase todas as paróquias da cidade e foi a responsável pela restauração das imagens das igrejas São José, do Cerrito e das paróquias de Cerro Branco e Cortado. O gesso é a base do trabalho da artista que elabora desde imagens de bolso até peças como a da Mãe do Redentor, que encontra-se na Matriz Nossa Senhora da Penha, com 1,5 metro de altura. Depois de prontas as imagens são pintadas fielmente de acordo com os modelos originais e algumas delas comercializadas. A maioria, segundo a dona de casa, são utilizadas nas igrejas da cidade.
A confecção e restauração de imagens é uma terapia para Nilza, que prefere prestar seus serviços de forma gratuita. “Faço por prazer e me distraio desenvolvendo minhas técnicas”, disse. A opção por imagens sacras, segundo Nilza, se deu em decorrência de sua fé e opção religiosa. “Minha família é católica e cresci em um ambiente religioso e devoto. Lembro de ter sido vestida quando pequena de Santa Terezinha para o pagamento de uma promessa. Desde esse dia ela tornou-se minha santa de devoção”, explicou. A artista possui uma coleção de santinhos que servem de modelo para a confecção de suas imagens.
COMEÇO - Ela começou a desenvolver sua arte pintando telas e decorando salões, como no caso do CTG Lanceiros do Sul onde pintou um laçador em tamanho natural que permanece ainda hoje nas paredes do centro. Em sua casa, onde Nilza promoveu a adaptação de uma área para ser seu ateliê, é possível encontrar quadros de pintura em óleo com diversos temas, referência ao início de seu trabalho. O aperfeiçoamento de seu dom, como ela mesma faz questão de enfatizar, foi através de um curso do Instituto Universal Brasileiro. “Embora sendo um curso à distância, na época, era necessário muita dedicação e estudo para aprovação nos testes finais a que os alunos eram submetidos. Fui aprovada com nota máxima, prova de minha paixão pela arte”, disse.

Uma pergunta
Onde encontrar os trabalhos de Nilza?
As imagens confeccionadas por Nilza podem ser encontradas na secretaria da Igreja São José e neste mesmo local podem ser agendados serviços de restauração e confecção de imagens que não estejam disponíveis à pronta-entrega. Nilza não soube especificar os valores de suas obras, ela insiste em dizer que na maioria das vezes presta serviços gratuitamente. “Para as igrejas é difícil cobrar alguma coisa, tenho prazer em entrar numa paróquia e ver as imagens limpas, bonitas e bem cuidadas”, concluiu.

Para saber mais
Os mais procurados
A imagem mais procurada é a de Nossa Senhora Aparecida, a santa padroeira do país.
Santo Expedito é o segundo colocado em devoção. Trata-se do santo das causas urgentes é um dos mais evocados quando passa-se por dificuldades.
Nas paróquias a procura maior é por Maria Mãe do Redentor que é padroeira de todas as mães e simboliza o amor materno e a dedicação aos filhos, em seu caso a Jesus. Cada igreja faz também questão de ter a imagem de sua padroeira, em boa parte delas, as imagens são de autoria de Nilza.

Volta »


Bairros: M. Ribeiro elege quarta seu presidente

A Associação de Moradores do Bairro Marques Ribeiro vai eleger novo presente na e três membros do conselho fiscal nesta quarta-feira, no salão da Capela Nossa Senhora do Rosário, com primeira chamada às 19h e segunda às 19h30min. Todos as famílias residentes na comunidade são convocadas a comparecer na assembléia extraordinária. Qualquer morador poderá se candidatar a conselheiro fiscal até o início da reunião. Ao cargo de presidente, poderão concorrer membros da diretoria, que poderão se inscrever até terça-feira à noite, quando a executiva se reunirá para tratar dos últimos detalhes da assembléia.
O vice-presidente da associação, Adão Escouto, que está no exercício da presidência há quase três meses (desde que o presidente anterior mudou-se para outra cidade), informou que o seu nome ou o da tesoureira Juraci Quadros deverá ser o indicado para a eleição para presidente, ficando com um dos dois o cargo de vice-presidente. Ele explicou que, se for confirmada a dupla na diretoria, um novo membro para a diretoria deverá ser eleito, com inscrições durante a assembléia geral, abertas para qualquer morador. Segundo ele, três conselheiros fiscais estão sendo substituídos por serem faltosos.
PRIORIDADES - As posses na diretoria e conselho acontecerão também na quarta-feira. Escouto informou, ainda, que a assembléia servirá para unir a comunidade e estabelecer as prioridades do bairro. Ele adiantou que um dos assuntos que serão discutidos é uma mudança de itinerário e horários dos ônibus urbanos, asfaltamento de ruas e o mapeamento do bairro. Segundo Escouto, não existem os bairros Aldeia e Cavalheiro. “As duas localidades pertencem ao Marques Ribeiro, mas o Aldeia tem até uma associação de moradores", reclama.

Volta »


Comportamento: Quando o hobby é uma grande paixão na vida de um profissional

A correria do dia-a-dia não é mais desculpa para alguém se acomodar, relegando prazeres ou talentos que nada tem a ver com a sua atividade profissional. Cada vez mais, a população vem buscando em esportes, na música, na arte ou em outras atividades algo além do que momentos de lazer, mas uma oportunidade de terapia contra o estresse. Muitos, com o tempo, acabam transformando o hobby em uma atividades preferencial. Para fazer o que gostam, os profissionais não precisam sequer ter muito tempo disponível, mas algumas horas da semana, sábados e domingos ou momentos entre seus compromissos, no decorrer do dia.
O Jornal do Povo foi buscar as histórias de cachoeirenses que viveram esta transição e hoje conseguem conciliar a rotina do trabalho com seus hobbies. Foi possível constatar que o principal benefício para quem destina um tempo em sua agenda para o lazer são a melhora acentuada da qualidade de vida, a manutenção do equilíbrio emocional, melhor convivência em família, aumento do círculo de amizades, maior vitalidade, abertura maior a novos desafios ou situações que exigem concentração total e, em conseqüência disso tudo, uma condição de saúde melhor.
Para o médico Mário Both, que presta serviço em vários locais e ainda encontra tempo para escrever crônicas humorísticas, tocar flauta em um grupo musical, dedicar-se à pesca no verão (ele ainda quer incluir na lista um esporte), ter um ou diversos hobbys também acaba ajudando a desenvolver melhor as atividades profissionais. Both está no grupo dos que acreditam que o lazer torna o trabalho menos cansativo e mais prazeroso, já que não existe o sentimento de que a vida está se resumindo somente à rotina profissão. “Encontrei coisas que trazem diversão e alegria para a vida, além de serem relaxantes”, resume ele.

Para saber mais
O perfil do hobby levado a sério
Desempenham profissões em áreas com alto teor de responsabilidade e estresse, como a medicina, a advocacia e o serviço público, e que exigem disponibilidade demais de oito horas por dia
Buscam nas atividades artísticas ou esportivas, além do alívio para as preocupações diárias, formar e manter um círculo fixo de amizades, com encontros freqüentes
Possuem talentos que, em suas profissões, não são explorados
Dedicam os horários livres para uma série de outras atividades que não lembrem trabalho
Não gostam de ficar sem fazer nada
São acompanhados ou incentivados pelo restante da família em suas atividades
Possuem um bom nível de qualidade de vida e estabilidade financeira

Os exemplos
O tênis contra o estresse

O funcionário público estadual Geraldo Ache, 46 anos, encontrou na prática do tênis uma forma de aliviar o estresse do dia-a-dia, melhorar sua condição física e criar um círculo de amizades fora do ambiente de trabalho. Ele já praticou outros esportes, como o futebol de salão, mas, há 12 anos, resolveu partir para uma atividade menos violenta e desgastante. Na Sociedade Rio Branco, os praticantes do tênis se transformaram em esportistas amadores, participando de competições e de um ranking de classificação.
Conforme Ache, a atividade de lazer não exige muito tempo, já que ele pratica o esporte com a freqüência e intensidade ideal para o seu condicionamento físico (três vezes por semana). A esposa e os dois filhos de Ache também adotaram a prática esportiva como ocupação nas horas vagas e ele afirma que, muitas vezes, o hobby da família a torna mais unida. “Além de ter melhorado minha saúde, o esporte é uma fórmula para esquecer os problemas do dia-a-dia. Muitas vezes, é na bolinha de tênis que eu descarrego o estresse acumulado”, relatou Ache.

Da medicina para os palcos
O médico legista Mário Both, quando não está de jaleco branco exercendo sua profissão, é um dos músicos do grupo instrumental Laudare, formado em novembro do ano passado e já conhecido na cena cultural de Cachoeira do Sul. Ele toca flauta doce há vários anos, mas havia abandonado o hobby já fazia quatro anos, até encontrar os outros instrumentistas e formar o grupo. “Para mim, que vivo uma rotina estressante e de responsabilidade, a música é um divertimento, uma brincadeira”, define ele.
Both, apesar de cumprir uma agenda cada vez mais repleta de compromissos do grupo Laudare, não se considera um músico. “Tocar flauta doce não é muito difícil. Para mim, é uma brincadeira. E o grupo, na minha visão, é uma reunião de amigos que se divertem com a música”, declara o médico, bem-humorado. Para ele, a dedicação a um instrumento acabou virando também uma espécie de terapia para extravasar emoções reprimidas e liberar o estresse. Mário Both é coordenador da unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital de Caridade e Beneficência de Cachoeira do Sul, atende em uma clínica, é editor médico e legista e, mesmo com tantas funções, ainda planeja dedicar-se mais aos seus principais hobbys além da música (também toca piano), a escrita de crônicas humorísticas e a pesca, que ele só pratica nos meses do verão. O segredo para tanta disposição, revela ele, é mesclar à rotina de trabalho as atividades de lazer.

A paz em contato com a natureza
Paulo Sartori, de 44 anos, é funcionário público do Estado e cursa Direito na Ulbra/Cachoeira do Sul. A paixão da sua vida, entretanto, não é a sua atual ou a futura profissão, mas a jardinagem e o paisagismo. Há cinco anos ele dedica suas folgas semanais ao estudo da Botânica e ao manejo das espécies que cultiva em um jardim que ainda está em formação junto à sua residência, no Bairro Soares. Para ele, o contato com a natureza funciona como uma terapia para liberar as tensões do dia-a-dia.
Sartori explicou que sempre teve uma inclinação para atividades ligadas à estética e à arte - tanto que gosta, também, de música e pintura. Ele exercita o seu dom artístico na harmonização dos tipos e matizes das plantas, bem como na sua disposição no ambiente que ele reservou para o seu jardim. “A jardinagem e o paisagismo, para mim, possuem dois aspectos: funcionam como meio para aliviar o estresse e trazem, como resultado, a realização pessoal através da concretização de um espaço próprio”, define Sartori, que desenvolveu sua paixão pelas atividades quando terminou de construir sua casa e destinou um ambiente ao futuro jardim.
Para Sartori, ter um hobby acaba ampliando o círculo de convívio social da pessoa e não tornando-a isolada dos amigos e da família, como pensam alguns. Ele informou que costuma visitar floriculturas, trocar idéias com paisagistas e estudiosos da Botânica e já transferiu a sua paixão pelas plantas para a esposa Janice e para a filha Priscila. E afirmou, ainda, que continua fazendo outras atividades e que tem planos de, quando aposentar-se, dedicar-se profissionalmente ao paisagismo e à jardinagem.

Agenda do coral não atrapalha profissões
A agenda de apresentações do Coral Sifalá não atrapalha as carreiras do juiz do trabalho Ricardo Gehling, 48 anos, e de sua esposa, a advogada Márcia Gehling, de 42 anos. Integrantes desde a fundação do grupo, há 10 anos, eles conseguem encontrar tempo, mesmo com uma rotina apressada de compromissos profissionais, para participarem dos shows e, uma vez por semana, dos ensaios. Segundo Márcia, que chegou a freqüentar a extinta Escola Superior de Artes Santa Cecília, a música não é, para o casal, um compromisso difícil de conciliar com o corre-corre diário. “Os ensaios acontecem à noite e as apresentações geralmente são marcadas para horários em que todos podem comparecer, já que todos os integrantes do Sifalá trabalham”, disse ela.
Márcia lembra que ela e o marido vieram morar em Cachoeira do Sul em 1987 e que a participação no coral foi uma maneira encontrada para que eles se integrassem à sociedade e conhecessem mais cachoeirenses, além de poderem exercitar a sua paixão pela música. Para ela, participar do Sifalá é a forma mais agradável que o casal encontrou também para relaxar e liberar o estresse acumulado no trabalho. “O coral é, na verdade, um grupo de amigos, na maior parte casais, que encaram o canto como um divertimento”, define ela.

A arte é a segunda vida de Eloísa
A arte é a segunda profissão da professora de cursos profissionalizantes Eloísa Félix Aires. Ela, que divide seu tempo entre a confecção de esculturas e a formação de garçons e empacotadores e as aulas de comportamento, cerimonial e protocolo e correspondência em Cachoeira e outras cidades do estado, diz que o estresse é um problema que passa longe da sua casa. “Gosto de tudo o que faço e procuro fazer bem”, define ela como receita. Eloísa, que ainda arruma um tempinho para participar das atividades da Casa da Amizade, já não sabe mais o que assumiu um papel mais importante em sua vida, se a arte ou a profissão.
“Quando estou fazendo uma escultura, esqueço de tudo e me encho de otimismo”, revela ela, que vende a maior parte das obras que produz. Ela afirma, entretanto, que mesmo já tendo sonhado em se dedicar somente às esculturas, acha que a arte deve ser encarada somente como um hobby, pelas dificuldades de comercialização dos trabalhos. “Sempre digo ao meu filho Cristiano, que gosta de quadros, que não se pode viver de arte. Apesar disso, eu encaro cada obra como um desafio importante para a minha vida”, diz ela.

Lazer não deve virar mais uma obrigação
Sessões de cinema e teatro, shows e exposições, ensaios, aulas de ginástica, visitas ao cabeleireiro, debates em livrarias e campeonatos amadores de uma infinidade de esportes. O vasto cardápio de atividades transformaram os sábados e domingos, dias que já foram dedicados ao ócio e às orações, em períodos de programação intensa, mas nem sempre prazerosa.
Para fazer a extensa listas de atividades caber no espaço apertado do fim de semana, muita gente vê-se forçada a programar os eventos com bastante antecedência, abandonando o improviso, uma marca da folga semanal. O tempo livre, para alguns, transformou-se em algo tão trabalhoso quanto os dias da semana, com o cumprimento de uma rigorosa agenda de compromissos.
“Não fazer nada é importante. É no espaço do ócio que nascem as idéias. Mas o lazer espontâneo, sem fim específico, está diminuindo. Até nos clubes há um cardápio de atividades dirigidas, cheios de horários e regras”, afirma o filósofo Antonio Carlos Bramante, professor do departamento de lazer da Unicamp, em São Paulo.

CUIDADO
Evite o lazer estressante
Para que o hobby não se transforme em uma atividade tão estressante quanto o trabalho, o leitor deve estar atento:
Tudo o que é demais cansa. Procure evitar horários rígidos para se dedicar ao seu hobby. O lazer deve acontecer de forma espontânea, quando dá vontade
Não assuma compromissos de lazer em seu horário de trabalho, para que não seja necessária nenhuma correria
O grupo que participa da sua atividade de lazer deve ser agradável. Fuja das companhias chatas ou irritantes
Procure desenvolver atividades em que você esteja fora do círculo de amizades de trabalho, ou, pelo menos, não misture os assuntos da profissão com o lazer
Não assuma muitas atividades ao mesmo tempo, para não correr o risco de perder o tempo que é necessário para o seu descanso e programas do resto da família
Procure envolver o cônjuge na atividade que você pratica. Atividades relaxantes e agradáveis unem os casais e incentivam o romantismo
Respeite o seu ritmo
Escolha uma atividade que combine com você. Nem sempre o que o seu amigo faz vai lhe dar o mesmo prazer

Volta »

JORNAL DO POVO LTDA.
Rua 7 de Setembro, 1015 - Fone (51) 722-1919
Fax (51) 722-7501 - CEP 96.508-011

Cachoeira do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil
Email: jp@jornaldopovo.com.br

© Copyright Jornal do Povo. Todos os direitos reservados. Powered by DieHarDbgg